Tonolucro
Cleber Toledo
Blog CT
Cleber Toledo é jornalista desde 1992, com passagens por jornais em Paraná, São Paulo e Tocantins. Fundador do Portal CT.

Grupo de advogados quer Juvenal Klayber na disputa pela OAB em 2018

CLEBER TOLEDO 25 de Sep de 2017 - 10h54
Comparilhe
Foto: Divulgação
A eleição do Seccional do Tocantins da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-TO) só ocorrerá no segundo semestre de 2018, mas um grupo de profissionais já se movimenta. Eles querem o experiente e respeitado Juvenal Klayber na cabeça de chapa para a sucessão do atual presidente, Walter Ohofugi.

Klayber tem 32 anos de experiência na advocacia, mas nunca tinha se disposto a disputar a OAB. Amigos dizem que agora está mais propenso a aceitar o desafio.

Pré-candidatos pedem benção a Araguaína

CLEBER TOLEDO 25 de Sep de 2017 - 09h43
Comparilhe
Foto: Divulgação
Manoel Queiroz, Osvaldo Reis, Kátia Abreu, Eduardo Gomes e Marcus Marcelo, na feijoada de Kátia, sábado, em Araguaína
A romaria de pré-candidatos no final de semana por Araguaína confirma a força política da capital econômica do Tocantins. É de lá o governador Marcelo Miranda (PMDB), dois deputados federais — Lázaro Botelho (PP) e César Halum (PRB) — e quatro estaduais — Elenil da Penha (PMDB), Valderez Castelo Branco (PP), Jorge Frederico (PSC) e Olyntho Neto (PSDB). Assim, o município concentra poder econômico e político e, por isso, não pode ficar de fora do roteiro de quem deseja chegar ao Palácio Araguaia e ao Senado.

Quem primeiro desfilou pela cidade foi a senadora Kátia Abreu. Pré-candidata a governadora, ela chegou a Araguaína na quinta-feira, 21, para uma intensa agenda de entrevistas a sites, rádios e TVs; visitas a empresas, reuniões diversas e almoço em tradicionais espaços públicos. A maratona de Kátia foi fechada com o encontro e feijoada para lideranças de toda a região na chácara do ex-deputado estadual Raimundo Palito. Toda a articulação de Kátia na cidade foi feita pelo presidente da União dos Vereadores do Estado (Uvet), Terciliano Gomes (SD).

A avaliação de alguns convivas para o regabofe na chácara de Palito é que o encontro foi bom, mas reuniu lideranças que estão fora do poder já algum tempo, e tentam superar o ostracismo. “Digamos que a Kátia reuniu equipes da Série C”, brincou um dos participantes. Os políticos de mandato — titulares, não reservas que entraram em campo, para ficar na ilustração futebolística —, e de expressão foram por cortesia, não para engrossar a fila de apoios à pré-candidatura da senadora.

Participação surpresa mesmo ficou por conta do ex-deputado federal Eduardo Gomes (SD), principal adversário de Kátia em 2014, e, como o blog lembrou no sábado, 23, chamado por ela na época de “Igeprev 2”, uma vez que o “Igeprev 1” era o deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM). A presença de Gomes confirma a tendência da senadora de sempre se aliar aos que xingou na eleição anterior, de acordo com conveniência, como ocorreu com o governador Marcelo Miranda (PMDB) e com o ex-governador Siqueira Campos (sem partido), e não uma, mas algumas vezes.

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), também pré-candidato governador, chegou no final da manhã de sábado para participar do leilão “Direito de Viver”, promovido pelo Sindicato Rural local, em prol do Hospital do Câncer do Tocantins. Amastha já tinha mostrado irritação na entrevista coletiva que concedeu na sexta-feira, 22, sobre o funcionalismo da Capital, quando deu algumas broncas em repórteres que perguntavam o que ele achava que não devia ser perguntado. Em Araguaína não foi diferente. Zangou-se com a "ousadia" dos jornalistas de fazerem perguntas que lhe desagradavam, bateu na mesa e saiu, deixando a imprensa local perplexa. Coisas da “nova política”.

O roteiro do discurso do prefeito foi o de sempre. Ataques aos políticos tradicionais — "a maioria não presta”, disse aos jornalistas —, mas inovou ao colocar limitação de idade para a atuação política, dizendo que não dava para mandar “um ancião de 90 anos para o Senado”, numa referência à pré-candidatura de Siqueira, o que, para grande parte dos leitores, soou como etarismo, um preconceito tão grave quanto a xenofobia absurda da qual Amastha é vítima nas campanhas eleitorais e ao longo do exercício de seus mandatos. Essa “nova política” é mesmo incompreensível.

O ex-deputado federal Eduardo Gomes não perde o Senado de vista. Garante que vai disputar de novo uma das duas vagas do Estado para a Câmara Alta. Assim, aproveita este início de pré-campanha para pular de galho em galho e espiar. Esteve no congresso do PSB no dia 17, depois na feijoada de Kátia no sábado e no jantar de Amastha com vereadores de Araguaína na noite do mesmo dia. Ainda se reuniu com os parlamentares da cidade, já que conta com o apoio do presidente da Câmara, Marcus Marcelo (PR), para a sua pré-candidatura. Gomes avisa que ainda vai conversar com o governador Marcelo Miranda.

Com uma passagem mais discreta pelo município, a deputada federal Josi Nunes (PMDB) também passou por Araguaína no sábado à noite, conversando com lideranças, tentando cabalar uns votinhos por lá.

Enquanto toda essa maratona ocorria, o prefeito Ronaldo Dimas (PR), apontado por todos como “candidato do sonho” para o Senado — ainda que seus aliados perguntem por quê não para o governo do Tocantins —, deu um jeito de sair pela tangente, fugir de todo de todo o assédio e não se contaminar por nenhum pré-candidato afoito. Lógico que tinha um argumento institucional para isso: compromissos anteriormente agendados.

CT, Palmas, 25 de setembro de 2017.

A vereadores, Amastha questiona: “Como mandar um ancião de 90 anos ao Senado?"

CLEBER TOLEDO 24 de Sep de 2017 - 12h31
Comparilhe
Foto: Facebook
O prefeito de Palmas e pré-candidato a governador, Carlos Amastha (PSB), se reuniu com 15 dos 17 vereadores de Araguaína na noite desse sábado, 23. Eles conversaram num jantar na residência do vereador Gideon Soares (PRTB). Conforme parlamentares ouvidos pelo blog, Amastha lembrou que o Estado só teve praticamente três governadores em quase 30 anos de história e questionou a idade do ex-governador Siqueira Campos (sem partido) para disputar uma vaga ao Senado.

Ele disse aos vereadores que, ao longo de três décadas, depois de Moisés Avelino (PMDB), Marcelo Miranda (PMDB) vêm se revezando no poder. “É hora de mudar”, defendeu o prefeito.

Amastha criticou a gestão de Marcelo e disse que o governador “não pode retornar” ao comando do Estado a partir de 2019. “O governador fala em dificuldades, mas está no seu terceiro mandato. Vejam que não há crise em Palmas e Araguaína”, criticou, afirmando que o problema do Estado é de gestão.

O prefeito não poupou elogios ao prefeito Ronaldo Dimas (PR), sabedor que é de que estava num reduto dominado pelo republicano. Disse que estava impressionado com o desenvolvimento de Araguaína e que a gestão de Dimas e a dele em Palmas são referência e exemplos de que há solução para a crise, numa nova cutucada a Marcelo. Amastha concordou com a observação de um vereador de que o prefeito araguainense seria uma excelente opção de senador em sua chapa.

Ancião
A maior alfinetada, contudo, foi contra o ex-governador Siqueira Campos, pré-candidato a senador e que, na segunda-feira, 18, emitiu uma carta questionando a coerência do prefeito de Palmas. Amastha perguntou aos presentes quantos ali tinham algum parente com mais de 90 anos. Apenas seu secretário de Governo, Júnior Coimbra, também presente, respondeu que a mãe estava com 92 anos. Em seguida o prefeito disparou: “Então, com todo respeito à sua mãe, mas como vamos mandar um ancião de 90 anos para nos representar no Senado?”. Siqueira está com 89 anos e, assim, será um nonagenário na campanha eleitoral do ano que vem.

Do jantar também participaram o vice-prefeito Fraudneis Fiomare, que é membro do PSB de Amastha, Coimbra, o ex-deputado estadual Palmeri Bezerra, também membro do partido do prefeito, o secretário de Desenvolvimento Urbano de Palmas, o deputado estadal Ricardo Ayres (PSB), e o ex-deputado federal Eduardo Gomes (SD), que tinha participado do almoço da senadora Kátia Abreu na cidade e do evento do PSB no último final de semana em Palmas.

Irritado com jornalistas
Assim que chegou a Araguaína, no início da tarde, Amastha concedeu uma entrevista coletiva à imprensa local, mas mostrou-se irritado quando questionado sobre a operação da Polícia Federal para apurar possíveis irregularidades no BRT, em novembro do ano passado.”Não me faça uma pergunta que você sabe que não é verdade”, afirmou a um jornalista. “Você está colocando uma investigação que não existe, que não tem indiciamento. A Polícia Federal reconheceu que não existe.” Em seguida, segundo jornalistas da cidade, bateu na mesa, levantou-se e saiu, dizendo-se atrasado para compromissos.

Ainda durante a entrevista, o prefeito voltou a criticar os políticos tradicionais do Estado. Ao ser questionado sobre qual adversário gostaria de derrotar em 2018, afirmou: “Do que está aí, eu gostaria de enfrentar a todos e derrotar a todos. Porque a maioria não presta e não tem condições de governar este Estado”, avaliou, segundo o site Araguaína Notícias.

Leilão
Em Araguaína, Amastha participou do leilão “Direito de Viver”, promovido pelo Sindicato Rural local, em prol do Hospital do Câncer do Tocantins. O prefeito esteve no evento porque os recursos serão revertidos à unidade ligada ao Hospital de Barretos que será construída em Palmas. Segundo o blog apurou, a arrecadação chegou a quase R$ 2 milhões.

Chamado de “Igeprev 2” por Kátia em 2014, Eduardo Gomes vai a reunião da senadora em Araguaína

CLEBER TOLEDO 23 de Sep de 2017 - 17h08
Comparilhe
Foto: Redes sociais
A partir da esq., Queiroz, Osvaldo Reis, Kátia, Gomes e Marcus Marcelo, no evento da senadora em Araguaína
No agitado fim de semana de pré-campanha de Araguaína, o encontro que mais chamou a atenção foi o da senadora Kátia Abreu com seu principal adversário das eleições de 2014, o ex-deputado federal Eduardo Gomes (SD). Ele foi à reunião e confraternização que Kátia realizou na chácara do ex-deputado estadual Raimundo Palito, neste sábado, 23.

Kátia e Gomes protagonizaram a mais disputada eleição para senador no Tocantins, quando ela o venceu por mísero 0,89 ponto percentual de vantagem há quatro anos.

Na campanha, a senadora fez duras críticas a Gomes, a quem ela se referia como “Eduardo do Igeprev 2” [Kátia chamava Eduardo Siqueira Campos (DEM) de "Eduardo do Igeprev 1”], numa referência às denúncias de irregularidades contra o Igeprev. Contudo, Gomes nunca foi envolvido em ações movidas pelo Ministério Público Estadual e Federal para investigar possíveis desfalques contra o Instituto de Gestão Previdenciária do Estado (Igeprev).

Quando deflagrada a Operação Ápia, que investiga possíveis desvios de R$ 200 milhões de estradas pelo governo Sandoval Cardoso (SD), em outubro, Kátia foi ao Twitter comemorar e afirmou: “Foi contra esta quadrilha que concorri em 2014. Apesar dos milhões que eles desviaram para a campanha, ainda saímos vitoriosos”, postou no dia 13 de outubro do ano passado.

Conforme o blog apurou, Gomes não usou da palavra durante o evento deste sábado.

O evento
Um dos articuladores da movimentação que Kátia faz em Araguaína desde quinta, 21, foi o presidente da União dos Vereadores do Tocantins (Uvet), Terciliano Gomes (PR), parlamentar araguainense.

Entre outros, a reunião seguida de feijoada de Kátia, com líderes de 25 municípios da região, neste sábado, contou com a participação do presidente da Câmara de Araguaína, Marcus Marcelo (PR), do deputado estadual José Augusto Pugliesi (PMDB), do ex-deputado estadual Manoel Queiroz (PSD) e do ex-deputado federal Osvaldo Reis (PMDB).

Coimbra diz a vereadores de Araguaína que candidatura de Amastha é “fato consumado” e que transição com Cinthia já é discutida

CLEBER TOLEDO 23 de Sep de 2017 - 12h22
Comparilhe
Foto: Divulgação
O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), vai se reunir com os vereadores de Araguaína às 20 horas deste sábado, 23, para falar sobre sua pré-candidatura a governador e de seus projetos para o Estado. A reunião ocorrerá na residência do vereador Gideon Soares (PRTB).

Num encontro preparatório, alguns parlamentares questionaram o secretário de Governo de Palmas, Júnior Coimbra, se realmente há disposição de Amastha de sair candidato em 2018. Segundo os vereadores disseram ao blog, Coimbra respondeu que “isso é fato consumado” e que o pessebista já está discutindo a transição com a vice-prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB). Para se candidato, o prefeito precisará renunciar ao mandato até abril, conforme exige a legislação eleitoral.

Vereadores araguainenses disseram que vão à reunião sem qualquer compromisso com a candidatura de Amastha. Eles querem conhecê-lo e ouvir as propostas do pré-candidato para o Tocantins.

Em Araguaína, Amastha participa do leilão “Direito de Viver”, promovido pelo Sindicato Rural local, em prol do Hospital do Câncer do Tocantins. O prefeito estará no evento porque os recursos serão revertidos à unidade ligada ao Hospital de Barretos que será construída em Palmas.

Também em Araguaína
Quem também está em Araguaína é o ex-deputado federal Eduardo Gomes (SD). Ele deve ir ao almoço que a senadora Kátia Abreu, sua adversária de 2014, está dando a liderança da região na chácara do ex-deputado estadual Raimundo Palito. Gomes que repetir a disputa das últimas eleições e tentar novamente o Senado.
Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital