cdl novo

Torcicolo: de que se trata e como se livrar

LUÍS GOMES, DA REDAÇÃO 28 de Feb de 2013 - 09h47, atualizado às 10h23
Compartilhe

Você já despertou com torcicolo? A dor geralmente é localizada em um lado e os limita de mover a cabeça. Para olhar pela janela traseira do carro, por exemplo, é impossível e para fazer isso é necessário torcer a parte superior do corpo inteiro para olhar para trás.

Para entender melhor o torcicolo, devemos lembrar que as vértebras e os músculos que rodeiam os órgãos são essenciais para a mobilização da cabeça. Ocorre uma retração dos músculos e excesso de trabalho, fazendo com que haja uma rotação da cabeça para o lado oposto da contração.


Anatomia do torcicolo
A coluna cervical é a região da coluna com maior mobilidade, possui função transmitir os estímulos dos sentidos e reflexos de equilíbrio corporais, proteger o sistema nervoso e sustentar o peso da cabeça (cerca de 10% do peso corporal). A coluna cervical tem de lidar por isso com dois imperativos antagônicos: mobilidade e estabilidade.

Possui 7 vértebras cervicais articuladas entre si, separadas por discos intervertebrais para amortecimento de impactos e para perfeito deslizamento. Entre as vértebras saem nervos que transmitem sensibilidade e movimento, sendo irrigados por sistema arterial especifico. Quando existe um comprometimento de alguma raiz nervosa, pode ocorrer alteração da sua sensibilidade e/ou função motora correspondente, como segue na imagem.



Tipos e Causas de Torcicolos

Torcicolo Congênito
  • É devido à má postura durante a vida intrauterina do feto, onde o bebezinho já nasce com torcicolo.

Torcicolo Repentino
  • Estresse e Ansiedade como fator emocional
  • Sedentarismo e Obesidade
  • Tabagismo - Fumar acelera a degeneração das vértebras cervicais.
  • Lesões da coluna vertebral, como escoliose ou lordose
  • Afecções ligadas aos dentes, principalmente o siso
  • Doenças Degenerativas como Osteofitos (bicos de papagaio) e artrose
  • Hérnia de disco ou desidratação discal
  • Postura por tempo prolongado do pescoço durante a jornada de trabalho
  • Uso de bolsas ou mochilas pesadas
  • Trabalhos forçados com movimentos bruscos ou atividade de levantamento de cargas em posição de rotação ou inclinação do tronco para frente
  • Má postura da cabeça durante a noite, devido ao uso de travesseiro ou colchão inadequado.
  • Atividades esportivas de contato como futebol, lutas marciais e boxe
  • Doenças dos nervos e das vértebras cervicais
  • Hipertireoidismo, se não tratado, pode ocasionar um torcicolo.
  • Infeções, como a gripe ou outras
  • Afecções que causam inchaço dos gânglios linfáticos cervicais

Sintomatologia
Espasmos agudos e dolorosos dos músculos do pescoço podem iniciar de modo súbito e podem ocorrer de forma intermitente ou contínua. Geralmente, somente um lado do pescoço é afetado. A direção da inclinação e da rotação da cabeça depende do músculo do pescoço afetado. Um terço dos indivíduos que apresentam este distúrbio também apresentam espasmos em outras áreas, comummente nas pálpebras, na face, na mandíbula ou na mão ou ainda sintomas como cefaleia, dor ao mastigar, engasgos ou dificuldade para deglutir alimentos ou sensação de tontura e surdez.

O torcicolo varia de leve a grave e permanente. Entretanto, na maioria dos casos, o distúrbio piora de forma gradual de um a cinco anos e, em seguida, estabiliza.

Fisioterapia Manipulativa – Diagnostico, Prevenção e Tratamento
Na maioria dos casos o paciente com torcicolo procura o Medico ou Fisioterapeuta devido à sua dor. O Fisioterapeuta realizara uma avaliação de diagnóstico estrutural e funcional para traçar as estratégias de tratamento individualizadas mais adequadas ao caso, identificando qual/quais os tecidos que são responsáveis pela produção da dor:
  • Bloqueio articular ou presença de um segmento hipermóvel;
  • Degeneração de um Disco Intervertebral;
  • Degeneração articular;
  • Músculo em espasmo ou encurtado;
  • Irritação de um nervo;
  • Espasmo de um vaso sanguíneo.

Tratamento - Fisioterapia Manipulativa
A Fisioterapia Manipulativa atua de forma a alinhar as estruturas e corrigir as alterações de inclinações, aumentando os espaços interarticulares, proporcionando o alivio das tensões e diminuindo os estímulos de espasmos musculares, utiliza-se das seguintes técnicas com respectivos objetivos.



1) Técnicas de terapia manual que envolvem a manipulação dos tecidos moles/fasciais e alongamentos passivos específicos

Normaliza as tensões musculares e fasciais locais ou globais, espasmos musculares e aliviando a pressão anormal exercida sobre as estruturas articulares, liberando aderências e melhorando a vascularização e nutrição local combatendo a estase sanguínea e linfática.

2) Técnicas manuais articulares com mobilização e a manipulação vertebral

Indispensáveis para o tratamento, dirigem-se aos elementos articulares e periarticulares, aplicados em diferentes amplitudes e velocidades. Estas técnicas permitem aumentar a amplitude de movimento e lutar contra as aderências e bloqueios articulares.

3) Técnicas de mobilização do tecido neural

As técnicas de mobilização neural visam essencialmente atuar no controle da dor e melhoria da amplitude de movimento cervical e do membro superior afetado.

4) Fortalecimento muscular dos músculos profundos da região cervical
Esta disfunção não se corrige por si só, mesmo depois do desaparecimento da dor, pelo que exige um treino específico com exercícios particulares. Este é um dos pontos-chave que contribuem para evitar as recidivas futuras.

5) Aconselhamento postural para realização das tarefas laborais e da vida diária.
Analisar os fatores de risco e orientar na adoção de posturas mais corretas promovendo o bem-estar e evitando a recorrência dos desequilíbrios corporais. 

Prevenir é possível?
Sim é possível! Em virtude dos estilos de vida adotados, posturas inadequadas, stress diário e falta de descanso, gestos repetitivos executados no trabalho ou em atividades desportivas, sobrecargas e traumatismos ocasionais, o nosso organismo vai acumulando micro-traumatismos e adotando posições que levam à sobrecarga de determinadas áreas. Pode-se restaurar o movimento desses níveis menos móveis, melhorar a postura, libertar as tensões musculares, com atividades físicas como caminhada, andar de bicicleta e correr associados a massagens relaxantes musculares, previnem a degeneração musculoesquelética e instalação de torcicolos.

Adiar procurar ajuda, suportando a dor e outras queixas, ou apenas tomando medicação para alivi
Dra. Danictieli Junqueira Caleman
Doutoranda em Ciências da Saúde e Estresse Oxidativo, mestre profissional em UTI - Terapia intensiva, especialista em saúde e segurança do trabalhador, especialista em gerontologia - atuação clinica em Fisioterapia Hospitalar, Terapia Manual e Coluna Consultoria. Palestras, Cursos e Treinamentos em Saúde
Angiomed - IOP Instituto Ortopédico de Palmas Clinicas Especializadas - 602 Sul, Av NS 02, Conj. 09, Lt 02
Fones (63) 32142965 (63) 81390222 (63) 84532217 [email protected]
ar a dor, pode contribuir para um agravamento progressivo do problema, tornando cada vez mais difícil a sua resolução. Quanto mais precoce for a intervenção, melhores serão os resultados.

FISIOTERAPIA MANIPULATIVA - COMO FAZER?

1º- CONSULTE SEU MÉDICO
2º- CONSULTE NOSSA FISIOTERAPEUTA
3º- AGENDE SUA CONSULTA

Nos dedicamos em receber nossos pacientes, acompanhá-los, escutá-los e tratá-los com profissionalismo e carinho. Priorizamos vários detalhes desde o espaço físico, a higiene, os equipamentos ate os atendimentos, sob a ótica de quem se dedica em aliviar a dor e gerar qualidade de vida, para cultivar sorrisos de satisfação.

São cuidados que se sente...
 

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital