cdl novo

Assassinato de Danilo "não é contra os advogados, mas contra o Estado Democrático”, diz Lamachia

Presidente nacional da OAB, profissionais, familiares e amigos protestam contra crime contra jovem advogado

DA REDAÇÃO 01 de Sep de 2017 - 15h48, atualizado às 16h26
Compartilhe

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Presidente da OAB Tocantins, Walter Ohofugi, discursa no grande ato em defesa da advocacia

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Presidente nacional Cláudio Lamachia consola dona Luzia, mãe de Danilo

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Presidente da OAB-TO, Walter Ohofugi, consola dona Luzia, mãe de Danilo

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira

Foto: Ascom OAB/TO/ Divulgação

Grande ato em defesa da advocacia e contra o assassinato do advogado Danillo Sandes Pereira



O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cláudio Lamachia, lamentou profundamente a morte do advogado Danillo Sandes Pereira, 30 anos. Ele foi assassinado no final do mês de julho, quando, segundo a Polícia, se negou a fraudar a distribuição de bens de um inventário. Lamachia participou de ato em defesa da advocacia, realizado em Araguaína, no norte do Tocantins, nessa quinta-feira, 31. O presidente da Ordem prestou solidariedade à família da vítima e em um gesto simbólico transferiu a sede do Conselho Federal para Araguaína em homenagem a Danillo.

“Em nome de mais de 1 milhão de advogados brasileiros, queremos aqui hoje prestar solidariedade à família de nosso colega que foi brutalmente assassinado. Não toleraremos jamais esse tipo de situação. Esse colega foi assassinado por força de seu exercício profissional. Quando ocorre uma agressão como esta não é algo feito somente contra os advogados, mas contra o Estado Democrático de Direito porque os advogados representam o cidadão em juízo. Somos a voz constitucional de todo cidadão brasileiro”, disse Lamachia. “É um momento de luto, mas também de luta da advocacia para que possamos acabar com esse tipo de situação”, acrescentou ele.

 Em virtude da mobilização, o Colégio de Presidentes da região Norte, que seria realizado em Palmas nessa quinta-feira, 31, e sexta-feira, 1º, foi transferido para a cidade. Participaram do ato também o vice-presidente nacional da OAB, Luís Cláudio Chaves, o diretor-tesoureiro, Antônio Oneildo Ferreira, presidente da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas e Valorização da Advocacia, Jarbas Vasconcelos, o procurador nacional de defesa das prerrogativas, Charles Dias, o presidente da seccional do Tocantins, Walter Ohofugi e outros cinco presidentes de Seccionais da Ordem na Região Norte do país: Marcus Vinicius Jardim Rodrigues (AC), Marco Aurélio Choy (AM), Paulo Campelo (AP), Rodolpho Morais (RR) e Alberto Campos (PA).

 “É um momento de muita tristeza. Esta violência tem de acabar. Um jovem advogado, talentoso e que já no início de sua carreira dava lições de ética, algo que precisamos muito no Brasil. Quando chegamos a uma barbárie como esta, em que um advogado é assassinado desta maneira, algo está muito errado no Brasil. As advogadas e advogados brasileiros estão de luto hoje por causa deste crime bárbaro”, declarou o presidente nacional da Ordem durante discurso proferido durante o ato de desagravo.

Lamachia anunciou ainda a contratação de advogados para auxiliar a comissão que a OAB/TO formará para acompanhar o caso. Compareceram ao ato também o presidente da Subseção de Araguaína, José Quezado, a vice-presidente da seccional, Lucélia Maria Sabino Rodrigues, o secretário-geral, Célio Henrique Magalhães Rocha, a secretária-geral adjunta, Graziela Tavares de Souza Reis, e o diretor-tesoureiro, Luiz Renato de Campos Provenzano.
Foto: Ascom OAB-TO/Divulgação
Presidente nacional Claudio Lamachia consola dona Luzia, mãe de Danilo, na abertura do ato organizado pela OAB
Diretores da OAB Nacional
O vice-presidente da OAB, Luís Cláudio Chaves, lembrou que a luta pela valorização da advocacia é diária. “Hoje estamos aqui para mostrar que os profissionais da advocacia são solidários entre si, porque sabem exatamente tudo o que envolve essa profissão”, disse.

Já o diretor-tesoureiro da OAB, Antonio Oneildo Ferreira, destacou que a OAB Nacional não poderia deixar de se fazer presente. “Foi mais que um convite do presidente da OAB/TO, Walter Ohofugi, foi uma convocação. Viemos prestar solidariedade e apoio à família e marcar a defesa das prerrogativas da advocacia. Da mesma forma, queremos estabelecer um diálogo com as autoridades no sentido de que a apuração, o esclarecimento e a punição do caso tenham rigor e transparência”, apontou.

Entre os presidentes das Seccionais da Região Norte, Marco Aurélio Choy, da OAB/AM, lembrou que o Colégio de Presidentes da Região foi transferido para Araguaína em homenagem ao colega assassinado. “É uma forma de mostrar que a advocacia não tolera afronta às prerrogativas”, disse. Alberto Campos, presidente da OAB/PA, conclamou esforços para que a “advocacia não siga sangrando”.

Entenda o caso
Danilo Sandes Pereira desapareceu no dia 25 de julho, às 9 horas, de Araguaína. O advogado teria recebido uma ligação pela manhã e seguiu em direção a cidade de Filadélfia.

No dia 26, a moto do advogado, uma Titan 150, cor vermelha, foi encontrada estacionada em frente a Unidade Básica de Saúde (UBS) do setor Jardim das Flores.

A polícia chegou até o local depois de uma denúncia anônima via 190, indicando que o veículo estaria no local desde as 15 horas do dia 25.

No dia 29, por volta das 9h30, em uma chácara a cerca de 18 quilômetros de Araguaína, próxima ao entroncamento de Babaçulândia, foi localizado o corpo de um homem. De acordo com o delegado Rérisson Macêdo, que acompanha o caso, poderia ser do advogado.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), de Araguaína onde passaria por exames técnicos periciais que iriam identificar se se tratava ou não do advogado.

Por volta das 17 horas, do mesmo dia, o resultado do exame de papiloscopia confirmou que o corpo encontrado era do advogado Danilo Sandes Pereira.

Prisão
O suspeito de ser o mandante da morte do advogado foi identificado como Robson Barbosa da Costa, 32 anos, casado, concluiu o curso de Farmárcia em uma instituição particular de Araguaína, quando ainda residia na cidade. Costa, que foi preso na segunda-feira, 28, em Marabá (PA).

Ele, que é um dos herdeiros da herança milionária que envolve uma fazenda localizada em Xambioá e imóveis em Araguaína. Ao todo, a herança em discussão no inventário pode chegar a R$ 7 milhões, conforme informações da PC. (Com informações da ascom da OAB/TO)

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital