cdl novo

Comissão especial da OAB vai acompanhar investigações sobre assassinato do advogado Danillo Sandes

Papel será monitorar o desenrolar do inquérito, a possível denúncia do Ministério Público e a tramitação da eventual ação penal e civil

DA REDAÇÃO 12 de Sep de 2017 - 17h12, atualizado às 17h37
Compartilhe
Foto: Ascom
Stephane Maxwell da Silva Fernandes preside Comissão Especial de Acompanhamento nomeada por Ohofugi
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins (OAB/TO), Walter Ohofugi, nomeou nessa segunda-feira, 11, os advogados membros da Comissão Especial de Acompanhamento as investigações sobre o assassinato do advogado Danillo Sandes, 30 anos, que foi brutalmente assassinado no final de julho. Ele era atuante em Araguaína.

No fim de agosto, após semanas de muitas investigações, a Polícia Civil (PC) prendeu Robson Barbosa Costa, 32 anos, suspeito de ser o mandante do homicídio. Conforme a PC, Danillo Sandes trabalhava em um inventário da família de Robson e o suspeito queria esconder parte do patrimônio para ficar com parcela maior da herança. Danillo Sandes não aceitou e isso acabou motivando o crime.

A comissão nomeada por Ohofugi é presidida por Stephane Maxwell da Silva Fernandes, tem Antônio Neiva Rêgo Júnior como vice-presidente e Letícia Bittencourt como secretária-geral. Além deles, são membros da comissão Anderson Mendes de Souza e João Fernando Nogueira Alves.

O papel da comissão será acompanhar o desenrolar do inquérito, a possível denúncia do Ministério Público e a tramitação da eventual ação penal e da ação civil, auxiliando a diretoria na indicação dos profissionais que acompanharão as demandas correlatas. A comissão contará com total respalda da OAB-TO e da OAB Nacional para fazer o seu trabalho.

O assassinato de Danillo em razão do exercício correto da sua profissão provocou total comoção no sistema OAB. No dia 31 de agosto, inclusive, a OAB Nacional e a OAB/TO, com apoio da subseção da OAB em Araguaína, promoveram um grande ato em defesa da advocacia na cidade do Norte do Estado.

A marcha contou com presença do presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, do vice-presidente, Luís Claudio Chaves, do diretor-tesoureiro, Antônio Oneildo, do comando do sistema de defesa de prerrogativas da advocacia nacional e de seis dos sete presidentes de OABs da Região Norte do País. “A advocacia não vai descansar até que todo o caso seja completamente esclarecido e os responsáveis punidos de forma rigorosa, como determina lei”, frisou Ohofugi.

Entenda o caso
Danilo Sandes Pereira desapareceu no dia 25 de julho em Araguaína. O advogado teria recebido uma ligação pela manhã e seguiu em direção a cidade de Filadélfia.

No dia 26 de julho, a moto do advogado, uma Titan 150, cor vermelha, foi encontrada estacionada em frente a Unidade Básica de Saúde (UBS) do setor Jardim das Flores. A polícia chegou até o local depois de uma denúncia anônima, indicando que o veículo estaria no local desde as 15 horas do dia 25 de julho.

No dia 29 de julho, por volta das 9h30, em uma chácara a cerca de 18 quilômetros de Araguaína, próxima ao entroncamento de Babaçulândia, foi localizado o corpo de um homem. De acordo com o delegado Rérisson Macêdo, que acompanha o caso, poderia ser do advogado.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), de Araguaína onde passaria por exames técnicos periciais que iriam identificar se se tratava ou não do advogado.

Por volta das 17 horas, do mesmo dia, o resultado do exame de papiloscopia confirmou que o corpo encontrado era do advogado Danilo Sandes Pereira.

Prisão
Depois de 34 dias de investigações, familiares de Danilo ficaram frente a frente com Robson Barbosa da Costa, 32 anos, principal suspeito de ser o mandante da morte do advogado.

Robson, que foi preso nessa dia 28 de agosto, em Marabá (PA), é um dos herdeiros de um inventário judicial. A herança milionária, que pode chegar a R$ 7 milhões, envolve uma fazenda em Xambioá e imóveis em Araguaína.

O suspeito é casado, concluiu o curso de Farmárcia em uma instituição particular de Araguaína, quando ainda residia na cidade. Em Marabá, ele atuava na profissão.

Confira a íntegra da portaria:

"PORTARIA Nº. 076/2017
Nomeia membros da Comissão Especial de Acompanhamento do caso do advogado Danillo Sandes da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional do Tocantins.

O presidente do Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Tocantins, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, nos termos do artigo 109 do Regulamento Geral do EAOAB,

RESOLVE
Nomear os membros da Comissão Especial de Acompanhamento do caso do advogado Danillo Sandes da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Tocantins.

Presidente: STEPHANE MAXWELL DA SILVA FERNANDES – OAB/TO 1791
Vice-presidente: ANTONIO NEIVA RÊGO JÚNIOR - OAB/TO 7512
Secretária-geral: LETICIA APARECIDA BARGA SANTOS BITTENCOURT – OAB/TO 2174
Membros: ANDERSON MENDES DE SOUZA – OAB/TO 4974
JOÃO FERNANDO NOGUEIRA ALVES – OAB/TO 6225

Dê-se ciência, registre-se e publique-se.
Palmas/TO, 11 de setembro de 2017.

Walter Ohofugi Junior
Presidente da OAB/TO”

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital