cdl novo

Com ventos fortes e incidência de raios, Energisa alerta para os riscos de choque elétrico em cabos partidos

Gerente de Operação da empresa orienta a não se aproximar da rede e caso um cabo partido caia sobre o veículo, não sair do carro, pois ele garante isolação

WENDY ALMEIDA, DA REDAÇÃO 11 de Oct de 2017 - 10h27, atualizado às 11h29
Compartilhe
Foto: Divulgação
Gerente Guilherme Damianse Souza orienta população a desconectar aparelhos das tomadas e não falar em celular no momento da tempestade
Caracterizado por ventos fortes e alta incidência de descargas atmosféricas, o início do período chuvoso no Tocantins pode causar, além do alívio do calor, umas série de transtornos no sistema de energia elétrica. Ao CT, o gerente de operações da Energisa, Guilherme Damianse Souza, alerta que as redes danificadas por árvores ou outros objetos aumentam os riscos de choque elétrico em cabos partidos e a queima de aparelhos eletroeletrônicos.

Segundo aponta levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Tocantins é o Estado com maior densidade de quedas de raios no País. No Estado caem 17,1 raios por quilômetro quadrado ao ano. Ainda conforme o Inpe, essas descargas atmosféricas são responsáveis por cerca de 70% dos desligamentos das linhas de transmissão e 40% na distribuição de energia elétrica, além da queima de um número considerável de transformadores de distribuição.

Souza lembra que nesse período é preciso ter alguns cuidados e seguir algumas dicas de segurança para evitar acidentes e a perda dos aparelhos eletroeletrônicos. “A gente sempre orienta a população a desconectar os aparelhos das tomadas e desligar os fios de antena dos aparelhos quando tiver tendo uma tempestade com muita descarga atmosférica”, afirma o gerente de operações.

O representante da Energisa orienta ainda a não se aproximar dos cabos partidos ou caídos. Caso um cabo partido caia sobre o veículo, não sair do carro, pois ele garante isolação. Não usar telefone com linha durante a tempestade com raios. Não se abrigar embaixo de árvores e evitar ficar em campos abertos ou próximo de estruturas altas como torres de telefone ou de energia. Não ficar próximo a tomadas, janelas e portas metálicas. Não tocar em pessoas ou objetos que estejam em contato com a rede elétrica. Não entrar em rios, córregos, piscinas etc. Por fim, ele aconselha a não utilizar chuveiro ou torneira elétrica (secador, chapinha etc).

Plano de Contingência
Pensando em amenizar os transtornos enfrentados neste período, a Energisa preparou um plano de contingência. Conforme informou Souza, desde janeiro foram feitos investimentos de cerca de R$ 200 milhões para expansão e manutenção da rede, automação do sistema (redes inteligentes); além de treinamento de equipes que integram outras áreas da empresa para eventuais emergências que necessitem de mais força de trabalho.

“Tudo isso acontece no período seco, para que quando chega o período de chuva a gente esteja preparado para poder atender de maneira mais rápido possível”, explicou o gerente.

De acordo com Souza, no período chuvoso a Energisa muda o horário de escala das equipes, para que haja maior número de pessoas disponíveis ao longo do dia. A empresa também passa a monitorar em painel de tempo real no centro de operações, a condição de volume de ocorrências em cada localidade do Estado.

“Quando a gente percebe que há o aumento de ocorrências, a gente consegue direcionar as equipes, acionar equipes de outras áreas para dar o suporte e realizar o atendimento no menor tempo possível”, ressalta o representante da Energisa.

Durante o atendimento nos dias de chuva forte, a Energisa prioriza o restabelecimento do serviço em hospitais, clientes que necessitam de aparelhos para sobrevivência e locais com grande circulação de pessoas, além dos alimentadores com maior número clientes. Nas áreas rurais, de difícil acesso para os veículos das equipes, ou que necessitam de execução de obras o operações complexas, como substituição de postes e remoção de árvores de grande porte, o restabelecimento do serviço de energia pode levar mais tempo.

Falta de energia
Na semana passada, as primeiras chuvas que caíram na Capital já provocaram alguns transtornos para os palmenses. Com ventos de quase 70 quilômetros por hora, árvores foram arrancadas e danificaram as redes, causando a falta de energia elétrica em alguns pontos da cidade.

“A rede de distribuição hoje é aérea, então ela é sujeita a esse tipo de problema. A gente tem todo trabalho preventivo de realização de poda de árvores, a gente fez isso aqui em Palmas, mas a partir do momento que o vento arranca a árvore e ela é arremessada sobre a rede aí existe realmente a falta de energia e aí é uma falta que para ser resolvida pode ser que demore um pouco mais de tempo”, argumentou o representante.

Atendimento
Em caso de acidentes ou cabo caído sobre o carro, a pessoa pode ligar para o Corpo de Bombeiros no 193. Em caso de dúvidas ou necessidade de atendimento emergencial na rede e energia elétrica a Energisa disponibiliza os seguintes canais:

• Aplicativo para celular Energisa On (disponível para iOS, Android e Windows Phone)
• 0800 721 3330 (ligação gratuita)
• www.energisa.com.br
• www.facebook.com/energisa
• Agências de atendimento presencial
• Ouvidoria – 0800 646 1196

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital