Tonolucro

Havia "pacto de sangue" do PT com Odebrecht para propina de R$ 300 mi e Lula sabia, diz Palocci

Da Agência Ansa 06 de Sep de 2017 - 18h28, atualizado às 18h42
Compartilhe
Foto: Agência Brasil
ex-ministro Antonio Palocci, segundo quem também teriam sido dados "R$ 4 milhões em dinheiro" para Lula
O ex-ministro Antonio Palocci afirmou durante depoimento nesta quarta-feira, 6, ao juiz federal Sérgio Moro, no âmbito da Operação Lava Jato, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu propina e que havia um "pacto de sangue" entre o Partido dos Trabalhadores (PT) e a construtora Odebrecht.
   
Segundo o advogado Adriano Bretas, Palocci "assumiu definitivamente uma postura colaborativa e revelou detalhes de bastidores e dos meandros que permearam as relações de poder na transição do governo Lula para Dilma".
   
De acordo ainda com o advogado, o "pacto de sangue" seria um "pacote de propinas" que "se desdobraria no pagamento de um terreno", onde seria construída a nova sede do Instituto Lula. Além disso, seria ainda dado "um sítio e R$ 300 milhões que paulatinamente foram sendo disponibilizados com aquela planilha entregue pela empreiteira Odebrecht". Também teriam sido dados "R$ 4 milhões em dinheiro" para o ex-mandatário.
   
O depoimento de Palocci se deu no âmbito do caso que investiga a compra de um terreno para a instituição e de um apartamento vizinho do qual o ex-presidente mora em São Bernardo do Campo. Além do ex-ministro e de Lula, também está envolvido o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht.

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital