Tonolucro

Com "caciques" estaduais, candidatos prefeito de Itacajá preparam último comício

Siqueira, Ataídes e Eduardo estarão no palanque de Manoel Pinheiro; Vicentinho Alves, Dimas e deputados estaduais apoiam vereador Cleoman Correia

LUÍS GOMES, DA REDAÇÃO 29 de Nov de 2017 - 12h27, atualizado às 15h56
Compartilhe
Foto: Divulgação/Ascom
Ex-prefeito Manoel Pinheiro e vereador Cleoman, dois dos candidatos que disputarão a eleição de domingo

O calendário da eleição suplementar para a Prefeitura de Itacajá estabeleceu esta quinta-feira, 30, como o último dia para a divulgação de propagandas e realizações de debates e reuniões. Ao menos dois dos três candidatos já marcaram comício de encerramento da campanha: Manoel Pinheiro (PSDB) e o vereador Cleoman Correia Costa (PR). O CT não conseguiu localizar Raimundo Marcos (PT), que também disputa o Paço. A eleição acontecerá no domingo, 3.

Vencedor do processo ordinário do ano passado, mas que teve o diploma cassado por causa de uma rejeição de contas, Manoel Pinheiro vem para a disputa novamente com o aval da Justiça Eleitoral. O tucano prepara uma carreata que vai sair do ginásio de esportes José Aarão Porto, às 17 horas; e termina às 19 horas, no comitê da coligação “Itacajá para Todos”, onde acontece o comício.

Segundo a assessoria do candidato, o comício contará com a presença do ex-governador Siqueira Campos (DEM), do senador Ataídes Oliveira (PSDB) e dos deputados estaduais José Augusto Pugliesi (sem partido) e Eduardo Siqueira (DEM). “Aguardamos todos os itacajaenses, pois queremos apresentar propostas para a nossa população e ouvir as contribuições que nossos convidados trarão para nossa cidade e estamos muito felizes com o apoio da comunidade em geral,” comentou Manoel Pinheiro.

Cleoman Correia também tem comício marcado para quinta-feira, às 20 horas, na avenida presidente Ultra, no centro da cidade. O candidato da coligação “Humildade com Responsabilidade” disse ao CT que está confirmada a presença do senador Vicentinho Alves (PR); do deputado federal Vicentinho Júnior (PR); dos deputados estaduais Cleiton Cardoso (PSL), Jorge Frederico (PSC), Wanderlei Barbosa (SD); do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PR) e do presidente da União de Vereadores do Tocantins (Uvet), o araguainense Terciliano Gomes (SD).

O vereador demonstrou confiança na vitória no pleito suplementar. “A campanha está boa. O povo quer a mudança”, defendeu. Cleoman Correia Costa também falou em “resgatar a credibilidade da cidade”, que está em uma “situação está uma calamidade”. Entretanto, o republicano não culpa a ex-prefeita Maria Aparecida (PSD), que apoia sua candidatura, mas sim Wesley Barros (PSD), presidente da Câmara que está à frente do Paço.

Nova eleição
Itacajá terá eleição suplementar no domingo para decidir o gestor do município porque o vencedor do pleito de outubro do ano passado, Manoel Pinheiro, teve o diploma cassado. Apesar do episódio, decisão da Justiça Eleitoral colocou o tucano novamente no páreo para disputar o Paço. Estão certame o vereador Cleoman Correia Costa (PR) e Raimundo Marcos (PT).

O único nome que se repete nesta eleição suplementar é justamente o do candidato que teve o diploma cassado. A ex-prefeita Maria Aparecida (PSD) que tentou a reeleição no ano passado desistiu de se manter na disputa. Ao CT, a social democrata elencou dois motivos para a decisão: problemas de saúde e oxigenação do cenário político de Itacajá.

“A campanha é muito curta e não ando muito bem, principalmente da coluna. Eu vou me resguardar um pouco. E eu fui analisar, acho que não é hora para entrar e ter a mesma situação”, disse Maria Aparecida em referência ao fato de que, em Itacajá, dois grupos se revezam no poder há anos, um liderado por ela e seu marido, Antão Alves da Costa, e outro por Manoel Pinheiro. “Achamos por bem pôr uma pessoa nova, sem gasto e querida. A ideia foi boa e a campanha está excelente”, disse. A ex-prefeita apoia a candidatura de Cleoman Correia Costa.

Diploma cassado
Manoel Pinheiro administrou Itacajá por dois mandatos, de 2005 a 2012. Entretanto, o exercício financeiro de 2010 foi rejeitado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o parecer do órgão foi acatado pela Câmara. No processo contra o registro de candidatura do tucano que resultou na cassação do diploma, o Ministério Público argumentou que “os motivos de rejeição das contas são atos insanáveis e ensejam a inelegibilidade”.

“Os atos caracterizam má gestão fiscal, ações sem planejamento, não cumprimento de metas de resultado, afetando o equilíbrio das contas públicas. A conduta do impugnado caracteriza ato doloso de improbidade administrativa”, argumentou a ação de impugnação da então coligação de Maria Aparecida, denominada “Pra Frente Itacajá”.

A candidatura de Manoel Pinheiro para o pleito suplementar também foi questionada, mas a Justiça Eleitoral negou o pedido de impugnação. O juiz Marcelo Rostirolla acatou a argumentação da defesa. O tucano apresentou uma decisão do Tribunal de Justiça (TJTO) que anulou decreto legislativo da Câmara de Itacajá responsável por rejeitar as suas contas de 2010 como prefeito.

Atualmente, o presidente da Câmara, Wesley Barros, é o prefeito da cidade atualmente. Já o comando do Legislativo, ficou o candidato republicano nesta eleição suplementar, Cleoman Correia Costa, que foi eleito vice-presidente da Casa da Leis.

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2018 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital