CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Estado contingencia R$ 123 milhões, mas nega prejuízo a serviços essenciais

Em nota, Palácio Araguaia diz que o Orçamento implementado para o ano não se efetivou

0
Estado contingencia R$ 123 milhões, mas nega prejuízo a serviços essenciais
5 (100%) 1 voto

O Decreto 5.863 de 2018 publicado no Diário Oficial de terça-feira, 9, contingenciou a quantia de R$ 123.190.938,00. Em nota, o governo do Estado explica que o ato é uma medida de “equilíbrio fiscal”. “o Orçamento de 2018 foi implementado pela gestão passada, que estimou uma arrecadação que não se efetivou”, resumiu o Executivo.

Apesar do contingenciamento, o Palácio Araguaia garantiu que todas as ações planejadas, já iniciadas e licitadas continuarão sendo executadas normalmente e não haverá qualquer prejuízo para os serviços essenciais, citando saúde, educação, segurança pública e infraestrutura.

O governo ainda aproveitou para destacar alguns avanços nas contas públicas. “O Relatório de Gestão Fiscal e Execuções Orçamentárias do 2° quadrimestre indica, em um comparativo com o 1° quadrimestre que os gastos com pagamento de servidores caíram 3,8%, gerando uma economia de R$ 161 milhões”, garante o Executivo.

Leia a íntegra da nota do governo do Tocantins:

“NOTA À IMPRENSA

Governo do Tocantins

Sobre o Decreto nº 5.863, de 27 de setembro de 2018, que estabelece o contingenciamento de despesas do orçamento anual para o exercício de 2018, o Governo do Estado informa que:

Todas as ações planejadas, já iniciadas e licitadas continuarão sendo executadas normalmente e não haverá qualquer prejuízo para os serviços essenciais como Saúde, Educação, Segurança Pública e Infraestrutura e demais áreas.

O contingenciamento nada mais é do que uma medida de equilíbrio fiscal. Pois o Orçamento de 2018 foi implementado pela gestão passada, que estimou uma arrecadação que não se efetivou. Por isso, há a necessidade do contingenciamento para que o Estado não apresente déficit ao fim do exercício fiscal.

Importante destacar que a atual administração recebeu as contas do Estado em desequilíbrio além de desenquadradas perante a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). No entanto, os trabalhos que estão sendo desenvolvidos pela gestão atual já têm apresentado resultados. Pois o Relatório de Gestão Fiscal e Execuções Orçamentárias do 2° quadrimestre de 2018 indica, em um comparativo com o 1° quadrimestre deste ano, que os gastos com pagamento de servidores caíram 3,8%, gerando uma economia de R$ 161 milhões aos cofres do Estado, de maio a agosto de 2018.

Já com a manutenção da máquina pública, foram reduzidos os gastos em despesas com água, energia elétrica, contratação de terceiros, diárias pagas a servidores, passagens aéreas, materiais administrativos, dentre outros.

Nesse sentido, com as medidas de contenção de gastos e ajustes fiscais, o Governo trabalha objetivando a meta de equilibrar as despesas no primeiro quadrimestre de 2019, visando o Tocantins dentro dos limites de gastos estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).”

Leia também
Receba notícias do CT em seu e-mail
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...