CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Como Palmas, pelo menos 264 municípios concedem subsídios para segurar tarifa de transporte em meio à alta de diesel

Como Palmas, ao menos 264 municípios, de todas as regiões do País, tiveram que conceder novos subsídios ou ampliar os existentes para evitar alta nas tarifas de ônibus municipais e intermunicipais ou ao menos reduzir o impacto do aumento, segundo a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). Na terça-feira, 22, a Prefeitura da Capital publicou decreto que garante a manutenção do valor da passagem do transporte público em R$ 3,85, medida possível mediante subsídio de R$ 0,83 sobre a tarifa pública de R$ 4,68.

Diesel mais caro

O subsídio é resultado do óleo diesel mais caro que a gasolina pela primeira vez desde 2004, e uma queda no número de usuários acentuada pela pandemia de covid-19.

Aderiram nos últimos 2 anos

Conforme o levantamento inédito da NTU, 42% dessas prefeituras e Estados aderiram ao subsídio nos últimos dois anos. A crise no transporte levou até mesmo a cidade do Rio de Janeiro, que historicamente nunca financiou o transporte municipal, a implementar um modelo de subsídio baseado em quilometragem que passou a funcionar neste mês.

Tendência nacional

Segundo o diretor administrativo e institucional da NTU, Marcos Bicalho dos Santos, disse ao jornal O Estado de S.Paulo, o subsídio para o transporte público é uma tendência nacional. “Qualquer reajuste no diesel precisa ser imediatamente computado nos custos. Dentro do modelo que nós temos hoje, na grande maioria das cidades, isso significa compensar na tarifa, o que vai trazer dificuldades para a população”, disse.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também