CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.
governo-mobile-2

No Dia do Maquinista conheça as histórias de profissionais que atuam no Tocantins

O fluxo diário dos trens entre o Tocantins e o Maranhão contabiliza dezenas de locomotivas e centenas de histórias da turma que conduz as composições. Os dois estados reúnem mais de 150 maquinistas nas operações da VLI, empresa responsável pelo tramo norte da Ferrovia Norte-Sul, entre Porto Nacional (TO) e Açailândia (MA).

Gente que ama o trem, que adora as paisagens únicas do caminho ferroviário, que fez da paixão pelo trabalho o sustento da família e o combustível para muitos sonhos. Nesta terça-feira (20), é comemorado o Dia do Maquinista.

Há seis anos, Wanderson de Castro Melo, 29 anos, é um dos personagens dessa história. Ele atua como maquinista de viagem na região de Palmeirante, onde a empresa dispõe de um terminal que recebe grãos da rodovia e transfere o produto para o modal ferroviário. Trens formados por 160 vagões (mais de três quilômetros de extensão) são guiados por ele. Da rotina, Wanderson retira muitos aprendizados e a satisfação é tão grande quanto os trens que ele conduz. “Tenho muito orgulho de contribuir para a economia do país. Cada viagem e carga entregue é uma ajudinha minha”, destaca.

Para ele, contar do ofício conecta o trabalho e a família. “Sempre que passo em uma fazenda, após a cidade de Araguaína, aparece uma criança de uns seis anos, que ao escutar o barulho da locomotiva vai para a porteira e fica acenando e pulando. Isso me deixa muito feliz. Fico pensando na paixão que esse pequeno tem pelo trem. Talvez um dia ele seja maquinista também. Lembro do meu filho”, conta.

Mais ao sul do estado, em Porto Nacional, Adanilo Lopes, é maquinista de manobra há quase três anos. A trajetória na ferrovia remete a um sonho de infância: aprender e controlar máquinas. O contato com o trem representou uma mudança importante. “Antes, eu trabalhava no ramo da confeitaria. Estava insatisfeito. A jornada de aprendizado como operador ferroviário, e atualmente, maquinista me tornaram uma pessoa mais feliz”, conta.

Sobre a VLI

A VLI tem o compromisso de contribuir para a transformação da logística no país, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). Escolhida como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar pela revista Você S/A pelos últimos cinco anos e a primeira colocada do segmento de Logística e Transporte em 2019, a VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. (Da assessoria de imprensa)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também