CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Tocantins fecha 2022 com melhores taxas médias de ocupação e desemprego da série histórica do PNAD

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na terça-feira, 28, nova rodada da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), realizada trimestralmente. No novo levantamento, a taxa média anual de desemprego do Tocantins reduziu 6,9 pontos percentuais em 2022, na comparação com 2021 (de 13,3% para 6,4%) e registrou o menor índice da série histórica, que teve início em 2012. O contingente médio de desocupados no Estado no ano passado totalizou 50 mil pessoas, um recuo de 51 mil (-50,4%) em relação ao ano anterior, quando a estimativa havia sido de 101 mil pessoas.

RECUPERAÇÃO CONFIRMADA EM NÚMEROS

Confirmando a recuperação em 2022, outros índices do mercado de trabalho tocantinense também se destacaram e chegaram ao maior patamar da série histórica. A população média anual ocupada do Estado cresceu 12,4% em comparação com 2021, um incremento de cerca de 81 mil pessoas, chegando a 736 mil. Já o nível de ocupação registrou percentual de 57,8% em 2022, uma alta de 4,9 pontos percentuais frente ao ano anterior.

DADOS DO ÚLTIMO TRIMESTRE

Em relação ao último trimestre de 2022, a pesquisa revela que a taxa de desocupação no Tocantins não teve uma queda significativa se comparada ao trimestre anterior [julho, agosto e setembro], pois saiu de 5,6% para 5,2%, ou seja, uma variação de apenas -0,4 p.p. Já contrastada com o mesmo período de 2021, a PNAD Contínua Trimestral mostra que a taxa declinou de 9,6% para 5,2% (-4,4 p.p.). Em números, a população desocupada registrou recuo de 33 mil pessoas no paralelo entre o 4º trimestre de 2021 com 2022, passando de 74 mil pessoas para 41 mil.

OCUPAÇÃO NO TRIMESTRE

A pesquisa aponta que o nível de ocupação no estado passou de 55,1%, no último trimestre do ano passado, para 58,9% no mesmo período de 2021 e o contingente da população ocupada registrou crescimento de 8,6%, saindo de cerca de 693 mil para 753 mil. Conforme os dados divulgados pelo IBGE, também houve recuo na população fora da força de trabalho (pessoas em idade de trabalhar, mas que não estão procurando emprego): de 491 mil para aproximadamente 485 mil tocantinenses.

INFORMALIDADE AINDA ALTA

Por outro lado, a PNAD aponta que a taxa de informalidade ainda é alta no Estado e ficou estável, passando de 43,6% da população ocupada no terceiro trimestre de 2022 para 43,9%, no quarto trimestre. Para o cálculo da taxa de informalidade são consideradas as seguintes populações: empregado no setor privado sem carteira de trabalho assinada; empregado doméstico sem carteira de trabalho assinada; empregador sem registro no CNPJ; trabalhador por conta própria sem registro no CNPJ; trabalhador familiar auxiliar.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também