CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Insubordinação pró-Bolsonaro na PM-TO é descartada por oficiais, que acreditam na postura do comandante e na disciplina da tropa

A Coluna do CT ouviu importantes e influentes oficiais da Polícia Militar do Tocantins que garantiram que não há qualquer risco de insubordinação na tropa, mesmo diante do fato de que grande parte da corporação apoia o presidente Jair Bolsonaro. “Não tenho dúvida nenhuma de que o apoio ao presidente Bolsonaro é maior nas polícias militares do que nas próprias Forças Armadas”, afirmou um dos altos oficiais ouvidos, com a garantia do anonimato.

Altamente disciplinada

Conforme as fontes, levou “relativa insatisfação” aos quartéis, a decisão do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de suspender o coronel da PM Aleksander Lacerda por ter atacado ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e convocado militantes às ruas em apoio a Bolsonaro. “Mas não acredito em insubordinação nesse primeiro momento”, avaliou um oficial tocantinense. “Aqui está bem tranquilo. Nossa tropa é altamente disciplinada e não há motivos para insatisfação”, assegurou.

Comandante influente e legalista

Além disso, avaliou que o comandante-geral da PM-TO, coronel Júlio Manoel da Silva Neto, é muito influente entre a tropa e legalista. No entanto, a fonte ressalvou: “O termômetro para isso [insubordinação] será o que acontecer daqui para a frente”.

Alto escalão simpático a Bolsonaro

Outro importante e influente oficial também aposta, inicialmente, na postura do comandante-geral e confirmou o que o outro disse: “Silva Neto é muito legalista”. Essa fonte ratificou que “há militares no alto escalão que são simpáticos a Bolsonaro”, mas disse não crer em insubordinação.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também