CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

ATM vai produzir energia própria com sistema solar fotovoltaico; “Energia limpa com economicidade”, diz Jairo Mariano

O auditório Manoel de Paula Bueno, bem como o Hotel e Sede Administrativa da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) possuem agora matriz energética própria, após instalação de sistema solar fotovoltaico, que permite a entidade municipalista gerar sua própria energia elétrica. Com a presença de colaboradores e prefeitos, a tecnologia foi inaugurada nesta quarta-feira, 23,  quando o presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, disse que a tecnologia trará “energia limpa com economicidade” para a entidade.

Auditório e hotel ATM (Foto: Divulgação)

Economia

Ao todo, cerca de 200 placas foram instaladas nas três dependências da entidade municipalista, nos últimos dois meses. Juntas, as ferramentas tem capacidade de produzir 22 mil KW/mês, o que de imediato já gera uma economia de 85% nos custos da ATM com energia elétrica. “Anteriormente, somadas às faturas dos três prédios, o montante girava em torno de R$18 mil ao mês, o que reduziu para mil e setecentos reais após implantação da energia solar“, revela o presidente da ATM.

Jairo Mariano lembra que a implantação do sistema solar fotovoltaico atende aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, especificamente a meta 07, Energia Limpa e Acessível.

Jairo Mariano presidente da ATM na inauguração do sistema (Foto: Divulgação)

Investimento

Para implementar a tecnologia energética, a ATM investiu cerca de R$ 350 mil, montante angariado com a economia da suspensão do serviço hoteleiro da entidade neste momento de pandemia. “Desde março nosso hotel encontra-se fechado, o que fez sobrar recursos consideráveis em nosso caixa. Praticamente, não houve despesa adicional para a Associação, pois trata-se dos recursos que pagaríamos na manutenção do hotel, reinvestidos no investimento da energia solar“, explica Mariano.

Nos cálculos da empresa que instalou o sistema solar fotovoltaico, o retorno do investimento pode ser alcançado em até dois anos. Ainda, a entidade municipalista passa a ser uma unidade produtora de energia, e a sobra gerada se transforma em créditos que poderão abater na fatura de luz, num prazo de cinco anos, a contar do dia em que foram gerados.

Fomento

O uso da energia solar fotovoltaica cresceu no Brasil 14,4% neste primeiro trimestre de 2020, quando comparado ao mesmo período de 2019, aponta a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). “A ATM fomentará aos associados à ideia de implementar o sistema de energia solar de forma gradual nos Municípios, para que os entes locais também tenham sua matriz energética e busquem a produção de energia limpa, contribuído com um planeta cada vez mais sustentável”, finaliza Mariano. (Da assessoria de imprensa)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também