CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Estudo nacional diz que não há subnotificação de Covid-19 no Tocantins, mas conselheiro de medicina questiona

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) afirmou que o estudo coordenado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (RS), denominado Epicovid19-BR, cuja coleta de dados foi realizada pelo Ibope Inteligência, resultou em zero casos confirmados para a doença entre as 731 pessoas sorteadas para a pesquisa, realizada entre os dias 14 e 21 de maio, em Palmas, Araguaína e Gurupi. Conforme a pasta do Estado, isso significa que não haveria subnotificação do novo coronavírus no Tocantins. No entanto, o médico Estevam Rivello, conselheiro federal de Medicina, disse à Coluna do CT, disse que o universo estudado não representa todo o Estado.

Estudo no Brasil

Na primeira fase do Epicovid19-BR foram coletados dados em 133 cidades espalhadas por todos os Estados do Brasil, o que resultou em 25.025 entrevistas e testes para o coronavírus. Em 90 cidades, incluindo 21 das 27 capitais, foi possível testar pelo menos 200 pessoas selecionadas por sorteio. No conjunto dessas 90 cidades, a proporção de pessoas com anticorpos, que significa que já tiveram ou têm o coronavírus, foi estimada em 1,4%, podendo variar de 1,3% a 1,6% pela margem de erro da pesquisa. Essas 90 cidades correspondem a 25,6% da população nacional, totalizando 54,2 milhões de pessoas, entre as quais 760 mil estariam infectadas.

Testes no Tocantins

Em Palmas, foram entrevistadas e testadas 243 pessoas, em Gurupi, 250; e em Araguaína, 238; nenhuma delas testou positivo. Ainda segundo a pesquisa, 60,5% dessas pessoas estão cumprindo medidas de isolamento social.

Secretário avaliza

O secretário estadual da Saúde, Edgar Tollini, avalizou o resultado do estudo e esse que o Tocantins está controlando o casos que tem. “O trabalho continua sendo feito e a secretaria está fazendo testagem em massa, alguns municípios mais do que outros e o resultado é um número crescente de casos, mas podemos dizer com tranquilidade que não temos subnotificação”, garantiu.

Tocantins não foi pesquisado

Porém, o conselheiro federal de medicina, o médico Estevam Rivello, avaliou à Coluna do CT que não é bem assim. “Uma coisa é certa: o Tocantins não foi pesquisado, porque essas três cidades não representam o Estado”, afirmou.

Mais cidades

Para ele, o estudo poderia ter sido feito em mais cidades, mantendo esse mesmo número pesquisado, porém, por questão de custo ele acredita que não foi possível. “Esperávamos encontrar com esses dados, cerca de 4 a 7 casos positivos e sabemos que algumas cidades possuem mais casos que outras. Por isso, deveríamos variar mais”, observou.

Cidades menores com mais casos

Rivello lembrou que muitas cidades menores têm, proporcionalmente, mais casos. Enquanto, por exemplo, Gurupi, com cerca de 85 mil habitantes, tem 85 registros da Covid-19, próximo a ela, Cariri, com cerca de 6,7 mil moradores, tem 49, Darcinópolis, no Bico, com 5,8 mil, tem 91, e Nova Olinda, no norte, com 10,8 mil, tem 76.

Qualidade do teste

Outro ponto que o médico cita é a qualidade do teste utilizado e a população testada. “Se testou gente fora da nossa maior concentração (adulto jovem) e o teste não seja feito de forma adequada, pode gerar erro”, alertou.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também