CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Nadia Cristina Araújo | Hipnoterapia traz desenvolvimento e qualidade de vida

Nadia Cristina Araújo | Hipnoterapia traz desenvolvimento e qualidade de vida
4.5 (90.33%) 120 votos

Uma depressão causada por um trauma de infância, uma síndrome do pânico gerada por um medo não tratado e adormecido na mente ou uma doença do corpo estabelecida por um sofrimento da adolescência. Estes são alguns dos pontos tratados pela hipnoterapia, um conjunto de técnicas que trabalha por meio da concentração e do foco para acessar recursos internos que permite alterar condições ou comportamentos indesejados, tratar doenças, estresse, trazer qualidade de vida ou superar problemas.

A técnica é antiga, porém ainda é desconhecida ou cercada por uma série de falsos mitos, como mágica, regressão, ligações com religião, misticismo, ou que interfere no tratamento de psiquiatras ou psicólogos. Deixando de lado os mitos e o senso comum, trata-se de uma terapia baseada na neurociência, que muda a vida das pessoas, pois busca a limpeza dos lixos tóxicos nos problemas emocionais, com um tratamento eficaz e sem efeito colateral.

Deixando de lado os mitos e o senso comum, trata-se de uma terapia baseada na neurociência, que muda a vida das pessoas, pois busca a limpeza dos lixos tóxicos nos problemas emocionais, com um tratamento eficaz e sem efeito colateral

NADIA CRISTINA ARAÚJO É hipnoterapeuta

Tais emoções escondidas no subconsciente gerados, na maioria dos casos, por um ECI – Evento Causador Inicial (traumas da infância, por exemplo) – são expostas com a hipnoterapia e ressignificadas de forma a mostrar que aquele trauma não vai mais impedi-lo de viver a vida, de ter uma boa autoestima, ou que vai provocar eventos causadores subsequentes, como uma depressão ou um sentimento de abandono a ponto de pensar que ele não é merecedor de se sentir feliz ou de se relacionar com as outras pessoas.

Confronto
O papel do hipnoterapeuta é identificar esses eventos causadores e ajudar o cliente a confrontá-los, para que o transtorno possa ser tratado com eficácia e o indivíduo possa ter sua qualidade de vida de volta. Tudo começa a partir de uma atitude mental receptiva: o  pensamento de querer estar bem, de aceitar a mudança por meio do relaxamento, concentração e foco. Desta forma, por meio da hipnoterapia, é possível tratar males como medos, fobias, insônia, depressão, angústia, estresse e dores crônicas, dentre outros.

Outra pauta importante na hipnoterapia é o desenvolvimento humano, voltado para as pessoas que têm problemas com relacionamento com outras pessoas, falta de foco, medo de falar em público ou procrastinação, por causa de bloqueios. Muitas vezes, a pessoa acha que nasceu com o problema e não há solução. Porém, com a terapia é possível atingir a mudança.

Neurologicamente quase todas as mudanças de comportamento e reformulação de hábitos e padrões de vida começam e são controladas por nosso inconsciente. Para mudar o comportamento de forma efetiva é necessário mandar informação diretamente ao inconsciente. Para alterar, de forma eficaz, antigos padrões de comportamento, a informação deve ser: diretamente indireta, não manipulatória e ter a intenção apenas de informar, acrescentando novas informações às antigas.

Definição
Segundo o neurocientista Paul MacLean, o sistema nervoso central é dividido em três cérebros – o reptiliano (mais antigo), o línbico (o emocional) e o neocórtex (que trabalha com a razão), os três se comungam e interagem entre si. O reptiliano e o línbico é a parte subconsciente e inconsciente para procurar qual foi o evento causador do problema que a pessoa passa naquele momento, e o neorcórtex é a parte racional, privado das informações fornecidas pelo sistema límbico (que além de processar a dor também controla a memória e algumas reações como a timidez, desconfiança, medo, fome ou prazer).

História
Quando se fala em hipnose clínica, tem-se como referência os egípicios, sacerdotes, mas principalmente os médicos do século 18, como James Esdaile, médico que formou-se na Suécia e tinha a saúde muito frágil. Foi para a índia com o objetivo de buscar melhores condições de vida, pois acreditou que o clima favorecia. Ele desenvolveu uma técnica de uma anestesia hipnótica, com cirurgias pequeno, médio e alto porte com mais de 3 mil cirurgias hipnóticas. Jean-Martin Charcot ficou muito famoso na Europa quando começou a usar a hipnose como método de tratamento para a histeria. Era, antes de mais nada, um homem da ciência, e por isso estava aberto a todas as novidades no campo da medicina.

Desde seu surgimento, a hipnose sempre esteve vinculada à busca da cura e é neste sentido que a ciência médica atual pesquisa não só a extensão que se pode obter com o seu emprego, como também as respostas de como e porque o cérebro processa o estado hipnótico. O estado de hipnose, alcançado durante as sessões, faz com que o cliente consiga quebrar padrões limitadores e mudar algumas crenças conseguindo assim realizar modificações no seu comportamento.

Tratamento
No Tocantins, o Espaço Terapêutico trabalha a Hipnoterapia de forma muito ética, com eficácia, com o intuito de trabalhar diretamente na raiz do problema.

Uma sessão dura em média 2 horas e meia ou três horas e obtém sucesso de 90% de cada um dos problemas.

Principais motivos para aderir à hipnoterapia:

– É um método seguro

– Lida com a origem emocional do problema

– Resultados rápidos


NADIA CRISTINA ARAÚJO
É hipnoterapeuta
Pós-graduanda em Psicopedagogia.
Pós-graduanda em Neurociência Hipnoterapeuta avançado
Especialização em Depressão
Life Coach
(63) 99213 4743
nadiacsaaraujo@gmail.com


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também