CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

ATR e Fundação da USP desenvolvem estudo sobre a prestação de serviços de saneamento da Saneatins/BRK Ambiental no Tocantins

Técnicos da Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia da Universidade de São Paulo (Fundace) estiveram na manhã desta terça-feira, 29, em Palmas, para apresentação do plano de trabalho do Estudo de Revisão Tarifária dos Serviços de saneamento prestados pela Saneatins / BRK Ambiental, contratado pelo governo do Estado, por meio da Agência Tocantinense de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (ATR), no último mês.

O objetivo do Governo do Estado é garantir o cumprimento das metas estabelecidas pelo novo Marco do Saneamento (Lei nº 14.026/2020), mantendo o equilíbrio econômico-financeiro da prestação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no estado.

Segundo o presidente da ATR, Edson Cabral, o estudo também será muito importante para subsidiar as tomadas de decisão do Estado em relação a revisão tarifária, na medida que vai fornecer à Agência a base para o desenvolvimento de uma metodologia que facilite todo o trabalho de regulação, gestão, fiscalização e controle da área de saneamento. “A Fundace é uma instituição com expertise na área e todo o seu trabalho será acompanhado de perto pela nossa equipe técnica, agregando o conhecimento necessário para que possamos garantir um bom desempenho do serviço de regulação no Tocantins”, disse.

Cabral ainda destacou que o estudo impacta 70% da população do Tocantins, que estão nos 47 municípios abastecidos pela BRK.  “Nosso foco é detalhar toda a base de ativos da concessionária, os investimentos não remunerados e as questões jurídicas relacionadas aos contratos de concessão, reduzir a judicialização, a insegurança jurídica e tornar esse processo mais transparente para a população”, complementou.

O Plano de Trabalho foi apresentado pelo consultor econômico da Fundace, Bruno Ledo, e prevê a análise do Primeiro Ciclo Tarifário, a análise de demanda de água e esgotamento sanitário, a apuração da Base de Ativos Regulatórios, a análise jurídica e boas práticas regulatórias, dentre outros produtos, com detalhes do trabalho a ser realizado e dos objetivos a serem cumpridos.

Segundo Bruno Ledo, nos mercados com livre concorrência, os preços são determinados pelas leis da oferta e da demanda, mas nos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário, por não haver concorrência, os preços devem ser analisados e controlados por agências reguladoras, como a ATR, que de tempos em tempos, deve recalcular as tarifas de água e esgoto.

“Dessa forma, por lei, as tarifas devem subsidiar todos os custos envolvidos na prestação dos serviços, ou seja, os custos de operação do sistema e investimentos necessários (melhoria ou implantação dos sistemas), bem como remunerar adequadamente o prestador de serviço pelo capital investido, o que tem impacto direto no bolso e na vida do cidadão e  por isso necessita de um trabalho interdisciplinar entre áreas de engenharia, contábil, econômica e jurídica”, ressaltou.

Fundace

A Fundação da USP é reconhecida no Brasil pela idoneidade e possui ampla e notória experiência em realizar estudos tarifários para diferentes agências reguladoras no Brasil, tais como AGERSA (Bahia), ARIS (Santa Catarina) e ARES-PCJ (São Paulo), já tendo participado de mais de 20 processos de revisão tarifária. (Da assessoria de imprensa)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também