CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Festival Bem Ali acontece neste domingo com transmissão online e 11 atrações musicais

O Festival Bem Ali está de volta! Com uma edição especial, o evento neste ano será online e acontece neste domingo, 17, com transmissão a partir das 17hrs. Esta sétima edição do festival contará ainda com 11 bandas, sendo uma internacional, durante programação diversificada para o público tocantinense.

Entre as atrações anunciadas pela produtora Árvore Seca, a idealizadora do evento, duas estão de volta para o festival, são elas: Stolen Byrds (PR) e Red Mess (PR). As novidades ficaram a cargo de Disaster Cities (SP), Papisa (SP) e Petit Mort (ARG/BRA), duo que é a atração internacional desta edição.

Representando a cena local de bandas, estão Boca de Cantora e Os Piaba, Imaginário Mundo, Magoo e o Bando Urtiga, Big Marias, Indxxr e Kanichi, esta última que entrou na programação através de uma seletiva com votação popular pelas redes sociais da Árvore Seca (@arvoreseca no Instagram).

A transmissão do Bem Ali 2021 será pela internet, através do canal oficial da produtora Árvore Seca no Youtube. A transmissão começa às 17 horas.

Nossa História

Nascido em 2015, com shows na então Praça da Árvore, espaço público e aberto no centro da capital do Tocantins, Palmas, o Festival Bem Ali chega, cabalisticamente, este ano a sua sétima edição e comemora com uma programação que bate o recorde de presença feminina no line-up.

Ao todo são seis anos de trajetória. O Bem Ali é hoje um dos maiores festivais de música independente do Tocantins e chegou a ter duas edições em um só ano. Em 2020, assim como outros eventos do mesmo porte pelo Brasil, por conta da pandemia, o evento entrou em hiato. Graças ao incentivo da Lei Aldir Blanc, em 2021 pode sair do papel, mesmo que acontecendo virtualmente.  

Criado para dar palco e oportunizar espaços para que as bandas autorais da cena independente palmense pudessem se apresentar com certa frequência, com sua sétima edição, o Bem Ali chega a marca de 23 shows com bandas tocantinenses em sua programação durante sua história.

Este ano, seis bandas tocantinenses se apresentam presencialmente no Teatro do Sesc Palmas para a live do domingo. Boca de Cantora e Os Piaba, Imaginário Mundo, Magoo e o Bando Urtiga, Big Marias, Indxxr e Kanichi. Essa última escolhida durante a tradicional seletiva do Festival, que tem votação pelo Instagram da produtora Árvore Seca, realizadora do evento. 

Completam a programação cinco bandas convidadas de outros estados: Stolen Byrds (PR) e Red Mess (PR), que já tocaram em outras edições do evento, Disaster Cities (SP), Papisa (SP) e Petit Mort (ARG/BRA), duo que é a atração internacional deste ano.

Na montagem do line-up, dentre os critérios para decidir as atrações de fora do Tocantins, a curadoria foi atrás de bandas que estavam com materiais novos ou com lançamentos previstos para emplacar no festival. É o caso da Stolen Byrds, Disaster Cities e Red Mess.

Regionalmente, parte dos artistas escolhidos para integrar a programação são calouros no Bem Ali ou são aquelas bandas que capricharam na produção de novas músicas durante o último ano, como Magoo e Bando Urtiga que lançou em julho o álbum ‘As crônicas de Sucupira Gotham City.

Primando por uma diversidade musical e estética, a curadoria decidiu delegar a tarefa de encerrar os shows de transmissão à banda de trap tocantinense Indxxr. Mesmo não sendo novidade na cena local, o grupo tem público cativo no Estado e grande engajamento nas redes sociais. Especialmente para o Bem Ali, os rappers criaram uma proposta de uma apresentação especial, com o tema ‘2077’.

“Em um mundo onde os recursos são escassos, atmosfera seca e árida, com resquícios tecnológicos, nossos personagens vivem em comunidades no chão e no lixo, enquanto uma pequena parcela milionária vive nos céus, em seus carros voadores ultramodernos. S.A. Collab é a gang dos manos, que trampam motivando os menores das comunidades a continuar no corre através do movimento de rua”, explica Arthur Lunnar da banda Indxxr. O domingo promete. 

Referência no cenário independente da Região Norte e com boas apostas na música autoral, o Bem Ali se tornou uma plataforma de música e cultura que vem impulsionando a carreira de novas bandas, cantores e cantoras no Tocantins. Explorando novos formatos e possibilidades impulsionadas pelo online, este ano, além da live do festival, a produtora Árvore Seca decidiu lançar cinco sessions gravadas com artistas do TO. Jorge Gabriel, Raia, Wizened Tree, Lado 63 e Em Agosto Chove ganharam videoclipes que também foram disponibilizados no canal do YouTube e Instagram da produtora Árvore Seca.

Fábio Henrique, co-fundador da produtora Árvore Seca, acredita que o importante é o novo e adaptação ao formato que a pandemia permitiu. “É claro que gostaríamos de realizar o evento presencial, mas somos responsáveis e sabemos que nesse momento ainda não é possível. Mas sabemos também o quanto o Bem Ali é um evento esperado tanto para o público, quanto para as bandas, que contam com a possibilidade de estar na programação do festival. A gente sabia que precisava fazer, então criamos uma proposta dentro do contexto que vivemos. Convidamos artistas de diferentes sonoridades para ajudar, colaborar e construir o evento online. Para então conseguir divulgar o trabalho dessa galera, expor essas criações que não podem ficar paradas. O digital potencializa a possibilidade de jogar pro mundo tudo de bom que a cena tocantinense autoral da música vem produzindo, e o Bem Ali vai ajudar nisso. O formato é híbrido. Localmente as bandas do Estado se apresentam ao vivo para a live, enquanto as bandas de fora enviaram material especialmente pra gente. Estamos experimentando, mas acreditamos que o ineditismo da proposta trás curiosidade, e, por isso, vai dar certo”.

Lei Aldir Blanc

A sétima edição do Bem Ali de 2021 é um projeto fomentado pela Lei Aldir Blanc, através da Agência de Desenvolvimento, Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado do Tocantins. Através desse fomento, a produtora Árvore Seca também realizou neste ano o MIRAGE – Festival de Vídeo Mapping do Tocantins, que ocorreu no último dia 13 de agosto na Praça dos Girassóis. (Da assessoria de imprensa)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também