CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Guilherme Ferreira mostra que mantém força de “1º ministro” ao presidir Comitê de Governança

Prefeita Cinthia Ribeiro com o secretário Guilherme Ferreira (Foto: Gabriela Letrari/Secom Palmas)
Guilherme Ferreira mostra que mantém força de “1º ministro” ao presidir Comitê de Governança
5 (100%) 10 votos

Coluna do CT

A prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), instituiu no dia 10 o Comitê de Governança, órgão de caráter consultivo, vinculado diretamente ao gabinete dela. O destaque é que o comitê mostra que o secretário de Finanças, Guilherme Ferreira, volta a se destacar ao protagonizar o papel de “primeiro-ministro”, como já funcionava como secretário da Casa Civil.

Articulação e coordenação

Cinthia tirou Guilherme dessa pasta e o colocou nas Finanças, a princípio, reduzindo sua área de atuação na gestão. No entanto, ao lhe entregar a presidência do Comitê de Governança, a prefeita mostra que o secretário continua muito fortalecido no Paço. Entre as atribuições do órgão está atuar na articulação e coordenação política.

Outros membros

Além do secretário de Finanças, que o preside, o comitê será composto pelos secretários da Casa Civil, Edmilson Vieira das Virgens, como primeiro membro; e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Thiago de Paulo Marconi, como segundo membro.

Atribuições

Conforme o decreto de Cinthia, as atribuições do comitê são as seguintes

  • Modernizar a gestão pública;
  • Articular e coordenar ações que reduzam despesas;
  • Promover a ampliação dos investimentos, agilidade nas compras e diminuição do preço das contratações;
  • Incrementar as receitas municipais, aumentando os recursos para a realização de ações sociais e obras, fortalecer a descentralização;
  • Atuar na articulação e coordenação política;
  • Conhecer e manifestar-se, antes de serem encaminhados para assinatura da prefeita, todos os projetos de leis, projetos de leis complementares e medidas provisórias, acompanhar a execução orçamentária das unidades gestoras municipais;
  • Conhecer e manifestar-se, antes de serem encaminhados para assinatura da prefeita, todos os decretos que tratem sobre a execução orçamentária, financeira, patrimonial e contábil;
  • Reportar diretamente à Chefe do Poder Executivo acerca das informações gerenciais dos processos de despesa da administração municipal;
  • Verificar a viabilidade de adesão em ata de registro de preços, conjuntamente com os demais órgãos competentes, analisando o procedimento licitatório originário da ata a ser aderida, sob os aspectos constitucionais e legais aplicáveis.
Leia também