CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.
governo-mobile-2

Bolsonaro diz que não vai adquirir “vacina chinesa de Doria” um dia depois do MS comunicar a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac

Um dia depois do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, comunicar a todos os governadores do País – inclusive Mauro Carlesse (DEM) – a compra de 46 milhões de doses do o CoronaVac, vacina de imunização contra a Covid-19 que está sendo produzido pelo Instituto Butantan em parceria com  chinesa Sinovac Live Science, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi ao Twitter afirmar que decidiu “não adquirir a vacina”.

A vacina chinesa de João Dória

Bolsonaro chama o CoronaVac de “vacina chinesa de João Doria”, em referência ao atual governador de São Paulo. “Para o meu governo, qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa. O povo brasileiro não será cobaia de ninguém. Não se justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem”, disparou o presidente da República, que durante toda a pandemia de Covid-19 sugeriu o uso de medicação sem eficácia comprovada.

Nossa guerra não é eleitoral

João Doria reagiu ao anúncio de Jair Bolsonaro também pelo Twitter. “Peço ao presidente que tenha grandeza e lidere o Brasil para a saúde, a vida e a retomada de empregos. A nossa guerra não é eleitoral, é contra a pandemia”, escreveu.

Veja os tweets:


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também