CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Pandemia do coronavírus deve jogar pelo ralo esforço fiscal do TO: impacto de R$ 500 milhões nas receitas

Pandemia do coronavírus deve jogar pelo ralo esforço fiscal do TO: impacto de R$ 500 milhões nas receitas
4 (80%) 1 voto

A Secretaria da Fazenda e Planejamento do Tocantins (Sefaz) projeta uma queda na arrecadação de R$ 40 milhões mensais por influência do Covid-19, pandemia de coronavírus que fez com que Estado e municípios determinassem medidas de redução de aglomeração de pessoas, como o fechamento de comércios, o que desaquece a economia. Conforme a pasta, o impacto pode chegar aos R$ 500 milhões em 12 meses. Já há 5 casos confirmados em território tocantinense, todos em Palmas.

Esforço fiscal prejudicado

A projeção de impacto de R$ 500 milhões é exatamente o mesmo valor que o governo estadual esperou economizar em 2019 com a reforma administrativa anunciada no início do mandato. O Executivo juntou pastas, demitiu funcionários, suspendeu progressões e chegou a anunciar o enquadramento do Estado no limite legal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em setembro. De janeiro a novembro do ano passado, o Palácio Araguaia contabilizou uma economia de R$ 252 milhões com gastos de pessoal e outros R$ 100 milhões com custeio.

Contas precisam estar saudáveis

Titular da Sefaz, Sandro Henrique Armando anunciou que o Executivo vai promover um debate sobre as condições das contas públicas. “É um momento novo, que não estava previsto e todos nós precisamos nos readequar a esta situação para, no mínimo, reduzir os impactos nas finanças do Estado. Sabemos que o Tocantins ainda é o principal indutor da nossa economia, por isso, as contas precisam estar saudáveis para que a nossa economia se recupere o mais rápido possível quando essa crise do novo coronavírus passar”, adiantou.

Mais sacrifício

Sandro Henrique Armando ainda prevê mais sacrifício para que o Estado possa superar a crise. “É um momento que temos que nos reprogramar, reduzir ainda mais despesas que podem ser contidas e concentrar forças no atendimento da população nas questões emergenciais, principalmente em relação ao novo Coronavírus e para aqueles tocantinenses que estão em municípios atingidos por enchentes, essa é a determinação do governador Mauro Carlesse”, afirmou o secretário Sandro Armando.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também