CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Gomes defende Bolsonaro em polêmica reunião ministerial, recorre a Cazuza e diz que, “em alguns momentos, verdade só vem em palavrões”

O senador tocantinense Eduardo Gomes (MDB), líder do governo no Congresso Nacional, saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro após a divulgação na sexta-feira, 23, do vídeo da polêmica reunião ministerial do dia 22 de abril. Ao site Diário do Poder, nesse domingo, 24, Gomes avaliou que “vivemos em um País onde, em alguns momentos, a verdade só pode vir em palavrões”, ao comentar os desabafos do presidente.

Pensou que era de Bolsonaro

O parlamentar recorreu a Cazuza para falar da hipocrisia e da corrupção no País. Gomes brincou com o site ao dizer que imaginou por um instante ser de autoria de Bolsonaro a música O tempo não para”, que diz: “Te chamam de ladrão/ De bicha/ Maconheiro/ Transformam o Brasil/ Em um puteiro/ Pois assim se ganha/ Mais dinheiro”.

Piscina e ratos

O senador destacou o refrão da música do cantor: “Tua piscina está cheia de ratos, suas ideias não correspondem aos fatos/ porque o tempo não para”.

Proibido

Quem não está gostando da relação de Cazuza com o bolsonarismo é a mãe do falecido cantor e compositor, a filantropa Lucinha Araújo. Ela chegou a proibir que grupos apoiadores de Bolsonaro usem músicas do artista em seus protestos políticos. Em entrevistas, Lucinha, ainda, não proibiu.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também