CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Justiça determina adequações estruturais e sanitárias da Cadeia Feminina de Lajeado em até 120 dias

Decisão liminar proferida pela 1ª Vara Cível de Miracema do Tocantins nessa quinta-feira, 26, determina ao governo estadual a adoção de uma uma série de medidas relacionadas às condições estruturais e sanitárias da Cadeia Feminina de Lajeado. O juiz André Fernando Gigo Leme Netto atendeu pedido do Ministério Público do Estado (MPE) por meio de ação civil do promotor João Edson de Souza.

Prazos

A determinação ao Estado é para que em dez dias transfira as detentas da unidade e em 120 dias elabore e execute o projeto de reforma e ampliação da cadeira ou providencie a construção de uma nova, fornecendo material básico de higiene pessoal. Caso o Executivo opte pela ampliação, deverá construir mais quatro celas para acomodação de até quatro pessoas em cada, ou amplie o tamanho das celas se resolver pela reforma.

Retirada da delegacia

Ainda ficou estipulado o prazo de 72 horas para que a Delegacia de Polícia seja retirada das mesmas instalações da cadeia, sob pena de aplicação de multa diária no valor de R$ 1 mil, até o limite de R$ 100 mil.

Estado caótico, superlotada e sem condições de salubridade

A ACP do MPE foi proposta após inquérito civil público constatar que a unidade prisional encontra-se em estado caótico, superlotada e sem condições mínimas de salubridade, ferindo assim, ao princípio constitucional da dignidade humana.

Seciju analisará as recomendações

A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) revelou que ainda não foi notificada sobre a decisão, mas afirma que “analisará e avaliará todas as recomendações” do MPE.

 


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também