CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Grupo que elegeu Moisés da Sercon se divide na Câmara de Miracema; com Saulo, 4 vereadores se tornam oposição

Grupo que elegeu Moisés da Sercon se divide na Câmara de Miracema; com Saulo, 4 vereadores se tornam oposição
5 (100%) 2 votos

Sessão da Câmara de Miracema da noite de segunda-feira, 18, mostrou que o grupo que elegeu o prefeito Moisés Costa da Silva, o Moisés da Sercon, em 2016, se dividiu após o assassinato dele em agosto do ano passado e com a posse do sucessor, Saulo Milhomem (PRTB). No centro do debate da sessão, que teve críticas, desabafos e até choro, a ex-primeira-dama do município Camila Fernandes. 

A discussão começou com pronunciamento do vereador Branquinho do Araras (PT), dizendo que haveria quem se aproveitasse do desespero da viúva de Moisés para “fazer política”. “Nós estamos fazendo política em cima de uma viúva, desesperada, que está que nem uma galinha sem cabeça. Sem rumo. Uma mulher que não sabe quem matou o marido, que tinha um projeto de vida com ele. ‘Tá’ que nem galinha sem cabeça. ‘Tá’ sem rumo”, afirmou o petista.

Segundo ele, “não vale a pena um grupo usar essa mulher para fazer política, fazer politicagem”. “Chega! Vamos nos unir”, clamou. “Vamos ajudar o prefeito Saulo. Vamos acreditar no projeto dele. Ele quer fazer diferente”, defendeu.

A vereadora Maria Bala (PSL) não gostou da expressão “galinha sem cabeça”, usada por Branquinho, que a parlamentar confundiu com “galinha do pescoço quebrado”. “Eu vi o vereador Branquinho do Araras, culto, intelectual, pós-graduado, usar o seu microfone, vereador, e chamar uma ex-primeira-dama de ‘galinha do pescoço quebrado’. Você foi infeliz demais, Branquinho. Peça desculpas a esta comunidade”, criticou Maria Bala. “Isso é muito grave, Branquinho. Você merece uma nota de repúdio deste Parlamento.”

A parlamentar afirmou que, nos palanques das eleições de 2016, o petista dizia que “vereador não fazia nada, que iria fazer a diferença”. “Que diferença é essa, vereador, que você vem neste Parlamento querer desmoralizar uma mulher de conceito, de família, que está sofrendo muito, Branquinho. Se coloque no lugar daquela mulher. Você foi infeliz, vereador”, reforçou Maria Bala.

Não tem direcionamento
Branquinho pediu a palavra e se explicou, negando ter atacado a ex-primeira-dama Camila Fernandes. “Quero deixar bem claro a ilustração que eu fiz quanto à galinha sem cabeça, não foi ‘galinha do pescoço quebrado’. A expressão galinha sem cabeça é a expressão de uma pessoa que está sem rumo, de uma pessoa que busca uma resposta e não encontra. Essa é a expressão de uma pessoa que não tem direcionamento”, afirmou o petista.

Ele reforçou ter feito um pedido no seu pronunciamento: “Não usem a pessoa nessa condição. Não faça uso dela. Então, acho que em momento algum desrespeitei a esposa do Moisés. Eu fiz uma referência quando se trata de uma pessoa que está sem rumo e que eu, como vereador, passo a entender que estão usando esta pessoa. Pelo motivo de essa pessoa estar sem direcionamento, nem da Justiça, de nada, quanto à tragédia que houve na vida dela. (…) Não deixem fazer política em cima daqueles que sofreram tragédias, que não mereceram a tragédia e que hoje estão sem resposta”.

‘O que ficou no Poder’
Na oposição ao prefeito Saulo Milhomem, o presidente da Câmara, Edilson Tavares (MDB), também saiu em defesa da ex-primeira-dama e criticou duramente Branquinho. “Essa história de dizer que alguém está querendo se aproveitar da morte do eterno prefeito [Moisés da Sercon], isso é balela de quem sempre foi ajudado por ele aqui em Miracema, que chegou em Miracema puxando a cachorrinha, e quem deu credibilidade para essa pessoa foi o Moisés, junto com a sua esposa”, alfinetou Tavares. “Eu quero que esse vereador, o Branquinho, tenha o respeito, a coragem e a dignidade de ir procurar a Camila e falar frente a frente com ela. Tenha coragem, vá à casa dela, e converse com ela.”

O presidente da Câmara lembrou que Camila “está sofrendo muito”. “A pessoa diz que é amigo e não aparece para dar o ombro amigo, e vai dizer que quem está do lado está tirando proveito. Eu não estou lá para tirar proveito. Sou companheiro da família desde 1992, e estou do lado dela”, disse.

Por fim, Tavares cutucou o grupo que se alinhou ao prefeito Saulo: “Quem está tirando proveito são alguns que estão do lado do que ficou no Poder. Porque bajular tanto eu nunca vi. Chamava o cara [Moisés] de irmão. Quando o cara morre, é inimigo”.

Mudança na configuração
O prefeito Moisés foi eleito com oito vereadores em sua base. A oposição fez apenas três parlamentares —Dr. Ricardo (PSD), Núbio Gomes (PSD) e Nasci da Ótica (PSD). No decorrer do mandato, Núbio e Dr. Ricardo aderiram e Moisés chegou a ter 10 dos 11 vereadores.

Após seu assassinato, em agosto, a Câmara se dividiu na gestão do novo prefeito Saulo Milhomem, que formou um bloco de apoio com seis vereadores contra cinco de oposição.

Do grupo de Moisés, foram para a oposição a Saulo quatro vereadores: o próprio presidente do Legislativo, Edilson Tavares; Maria Bala, Dr. Ricardo e Núbio Gomes, que se somaram a Nasci da Ótica.

Emoção
Ainda na sessão de segunda-feira, o vereador Nasci emocionou os colegas ao pedir que deixassem Moisés “descansar em paz”. “Eu acho que já está na hora de deixar o Moisés descansar em paz. A família sofre, por parte da mulher, por parte dos irmãos. Aqui é difícil ter uma sessão para não citar o nome do ex-prefeito Moisés. Acho que devemos respeitar. ‘Tá’ na hora de se respeitar o saudoso Moisés”, defendeu Nasci.

O parlamentar ainda afirmou que Moisés “merece todo carinho nosso, toda admiração nossa”. “Foi empresário, colega de aula… (emocionado) Temos que respeitar, vereador… (chorando) ‘Tá’ na hora de esquecer o nome do Moisés, gente! Deixa o rapaz descansar em paz! Aqui, quando não é elogio, é crítica. Pelo amor de Deus, senhores vereadores! Se coloquem no lugar da família do Moisés. Se coloquem como irmão. Vamos deixar o rapaz descansar em paz. O rapaz está sepultado”, concluiu, bastante emocionado.

Formação com Moisés da Sercon

Situação
Maria Bala (PSL)
Natan Fontes (MDB)
Cirilo Douglas (PRP)
Branquinho do Araras (PT)
Irmão Didan (PSB)
Edilson Tavares (MDB)
Adilson do Correntinho (PV)
Pedro da Farmácia (PRB)

Oposição
Núbio Gomes (PSD) – passou para a base
Dr. Ricardo (PSD) – passou para a base
Nasci da Ótica (PSD)

Formação com Saulo Milhomem

Situação
Natan Fontes (MDB)
Cirilo Douglas (PRP)
Branquinho do Araras (PT)
Irmão Didan (PSB)
Adilson do Correntinho (PV)
Pedro da Farmácia (PRB)

Oposição
Maria Bala (PSL)
Nubio Gomes (PSD)
Nasci da Ótica (PSD)
Edilson Tavares (MDB)
Dr. Ricardo (PSD)

Assista o pronunciamento emocionado de Nasci da Ótica:


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também