CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Mala encontrada em endereço de João de Deus continha R$ 1,2 milhão

Mala encontrada em endereço de João de Deus continha R$ 1,2 milhão
5 (100%) 1 voto

A Polícia Civil de Goiás informou que a mala encontrada em uma das residências ligadas ao médium João de Deus continha R$ 1,2 milhão. Durante a operação, realizada na sexta-feira, 21, em três endereços, também foram apreendidos US$ 908 e 770 euros, além de pedras preciosas e medicamentos.

As buscas foram autorizadas pelo juiz Liciomar Fernandes da Silva, do Tribunal de Justiça de Goiás, um dia antes. O magistrado é autor do novo pedido de prisão  expedido contra João de Deus – desta vez, por posse ilegal de armas de fogo.

Na quarta-feira, 19, policiais civis apreenderam pouco mais de R$ 400 mil e cinco armas de fogo em uma das residências do médium. Parte do dinheiro e o armamento estavam guardados no fundo falso de um guarda-roupa, em um quarto de uma das casas que o médium mantém em Abadiânia (GO).

João de Deus, de 76 anos, está preso preventivamente há sete dias no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, nos arredores da capital goiana, devido a denúncias de abuso sexual durante tratamento espiritual. A defesa do médium nega todas acusações.

Vítimas
Segundo informações do Ministério Público Estadual de Goiás, até ontem, haviam sido contabilizados 596 contatos por e-mails de possíveis vítimas de 15 estados no Brasil, além de 11 de outros países: Estados Unidos (quatro), Austrália (três), Alemanha (uma) Bélgica (uma), Bolívia (uma) e Itália (uma).

Foram identificadas 255 possíveis vítimas. Entre elas, 23 tinham entre 9 e 14 anos quando teria ocorrido o abuso. O Ministério Público já contabiliza 70 casos de abuso denunciados de vítimas entre 19 e 67 anos. Os crimes teriam sido praticados durante atendimentos individualizados e em locais restritos na Casa Dom Inácio de Loyola, no município de Abadiânia. (Paula Laboissière, da Agência Brasil)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também