CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Filipe Fernandes critica produtividade da Câmara e diz que não vai colocar “funcionários em risco” para ver “discursos eleitoreiros”

Filipe Fernandes critica produtividade da Câmara e diz que não vai colocar “funcionários em risco” para ver “discursos eleitoreiros”
avaliar matéria

O vereador Filipe Fernandes (DC) fez dura crítica aos colegas da Câmara de Palmas na sessão desta terça-feira, 31, ao sair em defesa da prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB). O parlamentar condenou a oposição por ataques à administração municipal, mas também destacou a falta de produtividade do Poder Legislativo. “Esta sessão foi politiqueira porque não produzimos nada”, chegou a afirmar no pronunciamento ao apontar a falta de qualquer deliberação  feita na reunião.

Plenário da Câmara de Palmas nesta terça-feira (Foto: Aline Batista/Divulgação)

Funcionários e vereadores em risco

Ao contrário da Assembleia Legislativa, a Câmara ainda se reúne presencialmente, apesar do estado de calamidade pública decretado por causa da pandemia do novo coronavírus, o Covid-19. Neste sentido, Filipe Fernandes disse que só voltaria ao Plenário para discussões efetivas contra a pandemia. “Não mais voltarei a esta Câmara para ver discursos eleitoreiros, eloquentes, sem nenhum tipo de fundamento para ajudarmos Palmas a sair desta crise. Não estou aqui para que os funcionários desta Casa e os nobres pares coloquem suas vidas em risco para ficar escutando balela. Quero vir aqui para produzir”, disparou.

Câmara deveria era destravar a pauta

Como forma de ajudar na crise, Filipe Fernandes sugeriu que a Câmara de Palmas adotasse uma legislação que permitisse que as multas da Energisa e BRK Ambiental sejam descontadas como forma de evitar que os contribuintes prejudicados pela quarentena fiquem em dívida e sugeriu até que os vereadores redirecionaram as emendas parlamentares para cestas básicas. Entretanto, o vereador defendeu em especial o destravamento do Legislativo. “Esta Casa deveria estar se reunindo para destravar pauta e ficar livre para votar qualquer que fosse a matéria enviada”, defendeu.

Momento é político

Filipe Fernandes criticou os vereadores de oposição de forma geral pelas críticas à prefeita Cinthia Ribeiro, mas citou nominalmente apenas o Moisemar Marinho (PDT), que fez um discurso enfático contra a gestão, citando o contrato sem licitação de R$ 900 mil para publicidade. “Para quem entende da área sabe que pouco representa. Uma pílula na rede Globo, na organização Anhanguera, custa R$ 5 mil, R$ 6 mil. Aí vem criticar porque o momento é político e tem que falar mal da prefeita. É o mesmo Parlamento em que defendeu todas as dispensas às licitações feitas na ex-gestão [Carlos Amastha, PSB], que nunca licitou nada”, rebateu o vereador, citando R$ 60 milhões em tendas e banheiros químicos e quase R$ 3 milhões para gravação de drone.

Nunca se viu uma crise deste tamanho

Para Filipe Fernandes, a postura da oposição é “eleitoreira”. “Precisávamos tratar com mais seriedade momento em que a cidade vive, com o devido cuidado. Nunca se viu uma crise desse tamanho. A prefeita tem tentado sensibilizar a população e tentar agradar a todos, o que não é fácil. Hoje vai apresentar um plano de descontingenciamento, mas ninguém fala. Só se fala no que acha que é errado politicamente para criticá-la devido ao ano eleitoral”, disse ainda.

Veja a íntegra da sessão:

 


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também