CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Prefeito Manoel Silvino vai ao defensor público-geral para tentar manter a DPE em Tocantínia

Com a desinstalação da Comarca de Tocantínia – que foi agregada à de Miracema do Tocantins -, o prefeito licenciado Manoel Silvino (SD) teme agora a saída da Defensoria Pública (DPE) do município. A possibilidade foi tema de audiência com o chefe da DPE, Fábio Monteiro dos Santos. Na ocasião, o gestor argumentou a importância da unidade para a região. O deputado estadual Vilmar de Oliveira (SD) acompanhou a reunião.

Vilmar de Oliveira, Fábio Monteiro dos Santos e Manoel Silvino (Foto: Divulgação/Ascom)

População carente

O prefeito argumentou que Tocantínia tem peculiaridades próprias que o difere dos demais municípios tocantinenses.  Cerca de 75% da cidade é formado por território indígena e os 25% restantes existem sete assentamentos de pequenos produtores rurais, o que, segundo Manoel Silvino,  comprova o tanto que “a população é carente e necessitada da proteção do Estado”. O prefeito lembrou que a DPE é fundamental para dirimir conflitos.

Emenda para garantir DPE em Tocantínia 

Conforme Manoel Silvino, o problema da retirada da DPE em  Tocantínia não se prende só à desinstalação da Comarca, mas  também, em função do orçamento que está sendo reduzido. Na busca de viabilizar  a permanência do órgão no município, Vilmar de Oliveira se comprometeu em colocar R$ 100 mil  em emenda parlamentar para que as despesas de custeio da Defensoria Pública em Tocantínia sejam custeadas com esses recursos.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também