CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Prefeitura de Palmas diz ter investido R$ 20 milhões no combate à Covid-19; Cinthia diz que “momento é de compaixão, não de politicagem”

A Prefeitura de Palmas afirmou que, desde o início da pandemia, investiu mais de R$ 20 milhões em ações de combate à Covid-19. “Nós estamos fazendo o que é preciso ser feito, usando de todos os instrumentos legais. O momento que vivemos é de ter mais compaixão com a vida das pessoas que estão adoecidas e não de fazer politicagem”, afirmou a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB), durante solenidade nessa sexta-feira, 7. O município enfrenta críticas pela falta de medicamentos em postos de saúde e é acusado por vereadores de oposição de não ter estruturado a rede de saúde com mais leitos para enfrentar o novo coronavírus.

Em R$ 33 milhões contra a Covid-19

Durante o anúncio de pacotes de obras na ordem de cerca de R$ 7 milhões para a Saúde da Capital, nessa sexta-feira, Cinthia apresentou o balanço financeiro parcial relativo ao enfrentamento da Covid-19 na cidade. Segundo a prefeitura, até o momento, foram creditados R$ 33.114.652,62 exclusivamente para o combate à Covid-19. Deste total, afirma a gestão, R$ 19.347.521,02 são recursos próprios do município e R$ 13.667.131,60 são provenientes da União, dos quais R$ 4.967.483,00 diretos do governo federal e o restante via emendas parlamentares.

21 novos leitos

Para enfrentar o novo coronavírus, a Prefeitura de Palmas contou ter implantado 21 novos leitos de estabilização nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), com respiradores, monitores, desfibriladores, bomba de infusão, usina de oxigênio. Conforme o município, também foram contratados 18 leitos clínicos na rede hospitalar privada; e adquiridos mais de 27 mil testes para a Covid-19 (outros 20 mil testes estão em fase de aquisição).

Unidades sentinelas

O município disse ainda que destinou quatro Unidades de Saúde da Família (USFs) para serem ‘Unidades Sentinelas’ para pacientes com sintomas da Covid-19, e ampliou o horário de atendimento nessas unidades. Para suprir a demanda no atendimento, contratou mais 44 profissionais (10 enfermeiros, 15 médicos e 19 técnicos de enfermagem).

Recomendação do MPE

A própria Secretaria de Saúde Palmas (Semus) admitiu em nota nesta semana problema de abastecimento no Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região Sul. Assim, a 19ª Promotoria de Justiça da Capital cobrou a correção de uma série de deficiências no atendimento, passando pelos recomposição de medicamentos e testes.

Internações

A Promotoria de Justiça recomendou à Semus, também, que seja providenciada a pronta internação de pacientes de Covid-19 com indicação médica para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois, segundo o órgão, há relatos sobre pacientes que se permanecem na UPA, inclusive sem alimentação intravenosa, enquanto precisam de leito de terapia intensiva.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também