CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Minuta de novo Regimento da SSP confirma fim da Dracma, que vira “divisão” da Dracco

Minuta de novo Regimento da SSP confirma fim da Dracma, que vira “divisão” da Dracco
5 (100%) 10 votos

Conforme temido pelo Sindicato dos Delegados (Sindepol), o governo estadual deve realmente extinguir a Delegacia de Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública (Dracma). O Jornal do Tocantins teve acesso e disponibilizou a íntegra de minuta – redação não definitiva – de decreto que trata do Regimento Interno da Secretaria da Segurança Pública (SSP). O texto tira a Dracma da estrutura organizacional da pasta.

Não só a Dracma

O texto não só extingue a Dracma, mas também transforma algumas delegacias especializadas em “divisões” subordinadas e vinculadas operacionalmente à Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco), que por sua vez, é subordinada ao Delegado-Geral da Polícia Civil, cargo de livre nomeação do chefe do Executivo. Entretanto, a minuta do Regimento Interno estabelece que a Dracco será dirigida por delegado de carreira.

Delegado Mozart Macedo Felix, presidente do Sindepol (Foto: Denis Tavares)

As divisões

À Dracco ficam vinculadas as divisões de Repressão à Corrupção (DRCO); de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), de Repressão a Narcóticos (Denarc), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e de Repressão ao Crime Organizado (DEIC). Atualmente todos estas especialidades de investigação são estruturadas em delegacias especializadas.

Delegados e disponibilidade

Em vídeo publicado nas redes sociais, o presidente do Sindepol, Mozart Félix, lamenta o fim da Dracma e também demonstra preocupação com o fim da inamovibilidade. “Esta minuta é aquilo que a gente já vem falando há algum tempo e que sabíamos que estavam prestes a fazer. Nos próximos dias deve publicar no Diário Oficial a extinção da Dracma. Mais do que isto, o Decreto prevê que todos os delegados ficarão em disponibilidade, e poderão ser realocados em qualquer unidade policial. Além de extinguir a delegacia, poderão mexer à própria vontade, a vontade política, nas lotações os delegados do Tocantins”, afirma.

Patrícia Domingos, delegada de Polícia Civil de Pernambuco (Foto: Leandro Andrade)

Mesma história em Pernambuco

Em palestra realizada no sábado, 6, a delegada pernambucana Patrícia Domingos relatou que a Delegacia de Crimes Contra à Administração e Serviços Públicos de Pernambuco (Decasp) também foi extinta por meio de decreto, em novembro de 2018, de forma semelhante como se prenuncia no Tocantins. Como reação, a palestrante sugeriu maior participação da sociedade. “É o silêncio dos bons que está fomentando o mal. Sejam curiosos, divulguem, pesquisem. Se querem bloquear um par de olhos, então eu vou treinar milhares de pares de olhos”, afirmou,


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também