CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Sisepe cobra PL para garantir data-base a aposentados e exige restabelecimento dos conselhos do Igeprev

O governador Mauro Carlesse (DEM) foi notificado extrajudicialmente pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins na manhã desta terça-feira, 26, para enviar um Projeto de Lei à Assembleia Legislativa que garanta a revisão geral anual para os aposentados e pensionistas do Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev). A entidade sindical já havia alertado o chefe do Executivo no dia 19, mas não recebeu resposta. Agora o Sisepe exige uma manifestação do Palácio Araguaia em até 72 horas. 

Governador descumpre mais uma Lei

A notificação extrajudicial destaca que Mauro Carlesse descumpre a Lei 1.614 de 2015, que garante a data-base para aposentados e pensionistas. A revisão geral anual dos servidores ativos aconteceu ainda em 9 de outubro. Apesar do reajuste de apenas 1%, o funcionalismo de todos os Poderes foram contemplados, mas nenhum projeto de lei para os inativos foi enviado à Assembleia Legislativa. “Estamos a pouco mais de 30 dias para encerrar o ano e o governador descumpre mais uma lei, gerando graves prejuízos e transtornos para esses segurados”, disse o presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro, em material enviado à imprensa.

Manutenção do poder de compra

O Sisepe ainda alerta o governador sobre a importância da revisão geral anual para a “manutenção do poder de compra” do beneficiado. “Com a intenção comum de não lançar sobre o benefício o ônus da desvalorização da moeda, da inflação e de todas as alterações que acarretam na perda do poder de compra”, reforça a notificação.

Igeprev sem conselhos

Em mais uma notificação extrajudicial, o Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe) agora cobra do governador Mauro Carlesse (DEM) o ato de designação dos membros do conselho de administração e do fiscal do Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev) em até 72 horas. Está já a terceira reivindicação reforçada pela entidade nesta semana. As duas estruturas estão sem funcionar desde maio.

Composição

Composto por membros do Poder Executivo e representantes das entidades sindicais, os conselhos do Igeprev estão sem funcionar porque o Palácio Araguaia ainda não fez suas indicações. Em uma manifestação feita em setembro, o governo estadual projetou

o restabelecimento das duas estruturas até início de outubro e esclareceu que a demora na escolha de nomes deve-se pela busca “representantes habilitados” para as funções. Entretanto, nada ainda foi feito.

Segurança mínima

Presidente do sindicato, Cleiton Pinheiro destaca a importância dos colegiados para o instituto. “Os funcionamentos dos conselhos são fundamentais para a regularidade da gestão do Igeprev, além de possibilitar uma segurança mínima aos segurados, que tem representação nos dois conselhos. O Sisepe tem defendido há anos que é necessário garantir que o controle do Igeprev fique na mão dos servidores efetivos, que são os segurados do regime previdenciário”, frisou.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também