CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

A felicidade existe?

A felicidade existe?
4.5 (90%) 6 votos

Certa vez fui com um amigo fazer um trabalho voluntário  na favela do trilho em Fortaleza. Murilo há muito tempo ajudava aquela comunidade e conhecia cada pessoa. No caminho, avisou-me que pararia para comprar  fumo de rolo para a D. Maria. Fumo? Como assim? Perguntei sem entender. Ele, calmamente, disse que eu iria compreender quando lá chegasse. E foi assim: num barraco muito humilde, estava uma senhorinha com idade já bem avançada, no fundo da rede, aguardando a visita do meu amigo. Recebeu as roupas e os alimentos que ele havia levado com gratidão. Porém, quando o Murilo entregou o fumo, sua fisionomia mudou. O rosto de D. Maria se iluminou, ela esboçou um largo sorriso e a felicidade ficou estampada na sua face.

Tem gente que acha que viver feliz é não ter problemas. Mas será que isso existe? Estamos nesse mundo para evoluir e a dor faz parte do aprendizado aqui na Terra

NILMAR RUIZ É escritora e palestrante

Aprendi no decorrer da vida que o  significado de felicidade é individual, contextualizado e temporal. Para alguns ser feliz é viver no campo, para outros é na cidade. Para algumas pessoas a felicidade está em ter muito dinheiro, viajar e ter muitas coisas. Para outros é ter uma casa, um emprego, amigos e filhos. Para a D. Maria, felicidade é enrolar seu cigarrinho, balançar na sua rede e contar as suas histórias. E como julgar? O  que é certo ou errado? Bom ou mal? Tudo é relativo. O que é importante para uns, não é para outros. O que hoje é indispensável, pode não ser amanhã. Tudo passa!

Então, viver o AGORA de forma LEVE pode ser um bom caminho para ser feliz.

Viver o agora é ter propósito e planejar o que fazer, mas sem remoer o passado e nem viver em função do futuro. É estar inteiro no presente, curtindo cada momento e perguntando: Como posso melhorar?

Já viver leve, é expandir a consciência. Lembra do Badu, do filme Mogli, o menino lobo? “Só uso o necessário, somente o necessário, o extraordinário é demais…por isso é que na vida eu vivo em paz”. O desapego e a verdade dão leveza a vida. O hábito de voltar-se  para dentro de si e perceber como está se sentindo, ajuda a identificar o que é leve e o que é pesado para cada um. O corpo fala e se habituarmos a ouvi-lo, com certeza, viveremos muito melhor.

Tem gente que acha que viver feliz é não ter problemas. Mas será que isso existe?  Estamos nesse mundo para evoluir e a dor faz parte do aprendizado aqui na Terra.  O segredo está na forma como se enxerga, se enfrenta e se  resolve os problemas e de como se lida com o sofrimento. A alegria, o bom humor, a esperança, a gratidão, o perdão e a fé podem ajudar a manter a paz mesmo nos momentos mais difíceis.  A vida têm a cor que nós  pintamos!

Ser feliz é opção e decisão de cada um. É ir desviando, pulando e tirando as pedras do caminho. É rir dos escorregões, levantar e continuar. É não ter medo do novo e dos desafios. É ver só o lado bom das coisas e fechar os olhos para o que é negativo. É comemorar cada conquista e celebrar cada vitória.  É viver cada minuto, com intensidade e amor. É ter fé, segurar nas mãos de Deus e seguir em frente.


NILMAR GAVINO RUIZ
É professora, ex-secretária da educação, ex-prefeita de Palmas e ex-deputada federal. 
É co-autora da ARH – Auto Reprogramação Humana –  e palestrante.
nilruiz@uol.com.br
(63) 9 9973 6559


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também