CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Pela primeira vez, produção audiovisual tocantinense recebe patrocínio da iniciativa privada

Para cineasta Eva Pereira, "despertar o olhar da iniciativa privada é lançar esperança de dias melhores para a nossa produção tocantinense”

Pela primeira vez, produção audiovisual tocantinense recebe patrocínio da iniciativa privada
5 (100%) 1 voto

A ficção O Barulho da Noite, da cineasta e produtora miracemense Eva Pereira, fecha 2018 com a conquista de uma importante cota de patrocínio da empresa Energisa para a sua finalização. Ela, que conseguiu inserir no trade audiovisual as belezas e talentos tocantinenses, comemora: “É emocionante perceber uma empresa acreditando em nosso potencial e contribuir para que o recurso seja mantido em nossa própria região”, diz.

Segundo ela, dados coletados pelo IBGE em 2016, por meio de pesquisas setoriais (Pesquisa Anual de Serviços-PAS e Pesquisa Anual de Comércio-PAC) e do Sistema de Contas Nacionais apontam que o mercado audiovisual brasileiro gera cerca de 98 mil empregos em todo o país e movimenta 25 bilhões de reais ao ano, equivalente a 0,46% do PIB brasileiro. “Mais do que a indústria farmacêutica, de celulose e têxtil. Despertar o olhar da iniciativa privada é lançar esperança de dias melhores para a nossa produção tocantinense”, avaliou a cineasta.

A produtora Kécia Garcia, da Tapioca Cine Tour, destaca: “Patrocinar/apoiar o cinema local é uma forma de reconhecimento e respeito ao setor, além de demonstrar que as empresas estão engajadas com o desenvolvimento da comunidade onde atua. A torcida é para se conseguir adesão de mais empresas, em mais projetos, afinal, é uma relação em que todos ganham. A empresa com a visibilidade e os incentivos, o projeto com sua execução que consequentemente gera empregos e aquece o mercado local”.

Para o cineasta Hélio Brito, presidente da ATCV, “o patrocínio representa neste momento um divisor de águas na história do audiovisual no Estado, a Energisa passa a ser a primeira empresa a investir numa produção cinematográfica genuinamente nossa”.

O FILME
Além de ser a primeira produção tocantinense a receber patrocínio da iniciativa privada, O Barulho da Noite já havia entrado para a história como o primeiro projeto do Estado a ser contemplado na mais importante chamada pública/edital de fomento ao cinema brasileiro, promovido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). Trata-se do Programa de Desenvolvimento ao Cinema Nacional (Prodecine 1), o prêmio de R$ 2 milhões viabilizou toda produção e filmagem, e agora o filme entra na etapa de pós-produção.

“Sou grata por cada um dos profissionais e apoiadores que acreditaram na nossa região, na nossa história, no potencial da nossa gente”, afirmou Eva.

O filme foi rodado todo no Tocantins, numa fazenda nas proximidades de Palmas que serviu de locação principal, onde todo cenário do filme foi construído por mão de obra tocantinense. Entre os temas abordados pelo enredo, está o combate à exploração sexual infantil, bem como o protagonismo feminino, que é destacado pelo núcleo de mulheres, composto pela atriz Emanuelle Araújo e pelas revelações tocantinenses Alicia Santana, 8 anos, de Mateiros, e Anna Alice Dias, 4 anos, de Miracema do Tocantins. Além de atores renomados como Marcos Palmeira, Tonico Pereira, Patrick Sampaio e dos tocantinenses Mercês Campelo, Wertemberg Nunes, Cícero Belém, Chico Chocolate e participação de Antista do Acordeon e Foliões do Divino Espírito Santo de Natividade.

O Barulho da Noite será lançado em julho e pretende representar o Tocantins em festivais nacionais e internacionais de cinema, além, do circuito comercial, salas de cinema.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também