CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Poeta Leonardo Póvoa dá continuidade ao projeto “Tocantins e suas belezas naturais” em novo lançamento com participação de Dorivã, Genésio e Lucimar

O poeta e administrador Leonardo Luiz Ludovico Póvoa lançará, via online, nesta sexta-feira, 5, o livro Tocantins e suas belezas naturais, projeto que dá continuidade à sua saga literária iniciada com Palmas e as Corujas. A nova obra traz mais quatro livros: Arara Canindé, Tatu-Peba, Pé de Caju e Meu Pé de Pequi. Essas novas edições da coletânea Tocantins e Suas Belezas Naturais terão como metodologia, fundamentação e finalidade a educação básica das crianças e intergeracionalidade.  

Todas as obras estarão nas plataformas digitais, gratuitamente, e no formato livros físicos, que serão doados para as escolas de ensino básico dos 139 municípios do Tocantins, bem como para as crianças de famílias de baixa renda. Segundo o autor, as obras têm como uma das principais missões a interatividade do livro físico com o digital e o mundo real. “Vai possibilitar a navegação entre esses três pilares do físico, digital e o mundo real, que é feito através do tocar, folhear e sentir as páginas do livro físico e no livro digital em baixar, visualizar e ler no seu celular ou  computador, além da animação dos livros em formatos de vídeos com declamações dos poemas, complementados no formato de vídeos clipes musicais de cada livro”, afirmou Póvoa.

Para ele, “é assim que o poeta sente ser a melhor forma dessa interação para a contemplação da vida real, quer seja, nas ruas ou praças de Palmas e em todo Estado do Tocantins, por mais simples e longínquo que seja o lugar”. “Essa interatividade da tecnologia com a natureza desperta nas pessoas o valor e a beleza das árvores, das aves, dos animais, do sabor contido no prato de comida, na contemplação do céu, no sabor do caju e do pequi”, disse.

Póvoa afirmou ainda que, após a leitura dessas obras, na visão do leitor, mudará o conceito sobre a natureza e, por onde passar, poderá viver a experiência de cada beleza natural que cada livro conta. “Pois nosso cerrado do Tocantins está repleto desses encantos naturais que por muitas vezes passa despercebido no dia a dia de cada um”, defendeu. 

Detalhamento da beleza natural

Cada livro, tem em seu conteúdo um detalhamento da beleza natural deste nosso belo bioma cerrado. Os poemas procuram explicar as peculiaridades de cada espécie e suas características. Um exemplo é a estrofe no poema do livro Meu Pé de Pequi : “NATIVO DO CERRADO/COM GALHOS GROSSOS E CINZENTO/O MEU PÉ DE PEQUI É TORTO/PARECE QUE FOI FEITO COM O VENTO”, e, também, na estrofe do poema Arara Canindé: “QUANDO FILHOTE MORO BEM ALTO/ NAS OCAS DAS PALMEIRAS E DO BABAÇU/FICO LÁ ATÉ CRESCER E PODER VOAR/ NESSE IMENSO CÉU AZUL”. E, assim, segue em cada estrofe, cada poema, em cada declamação e cada canção trazendo as características peculiares do nosso cerrado tocantinense.

Dorivã, Genésio Tocantins e Lucimar

As músicas foram compostas por alguns dos mais talentosos artistas regionais, Dorivã, oPassarim do Jalapão, Genésio Tocantins e Lucimar, e as declamações das poesias pela colaboradora Stela Araújo Póvoa. Essas músicas são as primeiras no Tocantins a serem registradas como NFT, a sigla que, em português, significa tokens não fungíveis. Eles são ativos digitais únicos para produto digital que tenham um certificado de propriedade e possam ser considerados exclusivos.

Esse projeto foi contemplado pelo Prêmio Aldir Blanc do governo do Tocantins, com o apoio do governo federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Fundo Nacional de Cultura.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também