CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Ex-Blue se baseia em brecha do Regimento do TCE para voltar a operar de Palmas enquanto recorre

0
Ex-Blue se baseia em brecha do Regimento do TCE para voltar a operar de Palmas enquanto recorre
5 (100%) 1 voto

A ex-Blue, atual Palmas Estacionamento, está se baseando numa brecha do Regimento Interno do Tribunal de Contas do Estado (TCE-TO) para retomar o serviço do sistema rotativo nos bolsões da Capital. A empresa anunciou nessa segunda-feira, 3, que vai reiniciar a operação, contudo, até agora nem o TCE, que suspendeu o serviço em junho de 2017, nem a Prefeitura de Palmas, responsável pela concessão, se manifestaram.

Conforme o CT apurou, a empresa se baseia no artigo 235 do Regimento Interno do TCE, que diz que “pedido de reconsideração terá efeito suspensivo”. Como ela ingressou com recurso contra a decisão do ano passado do conselheiro Severiano Costandrade de Aguiar, portanto, juridicamente, poderia voltar a operar.

A empresa procurou a prefeitura em julho e pediu uma forma de ordem de serviço para que retomasse os trabalhos com o aval do município. Após consultas a diversos setores da administração, a gestão foi aconselhada a não fazer isso, aguardar pronunciamento do TCE sobre o caso e esta foi a decisão.

Sem o aval do município, a Palmas Estacionamento — o novo nome da Blue, com a mudança em seu quadro societário —, então, propôs à prefeitura e ao TCE a assinatura de um Termo de Ajuste de Gestão (TAG) pelo qual se comprometeria a cumprir integralmente o contrato. O documento foi protocolado no dia 14 de novembro, mas não houve nenhuma manifestação sobre ele do Paço ou do conselheiro Severiano Costandrade de Aguiar.

Leia também
Receba notícias do CT em seu e-mail
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...