CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Após derrota no TST, acaba guerra nos Correios do TO

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab não descarta privatização da estatal

0
Após derrota no TST, acaba guerra nos Correios do TO
5 (100%) 1 voto

Com a decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de que os empregados e dependentes da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos devem pagar mensalidade para manter os planos de saúde, os funcionários da estatal no Tocantins decidiram encerrar a greve já segunda-feira, 12, mesmo dia em que foi deflagrada. A informação foi confirmada por Willian Martins Soares, secretário de comunicação do sindicato da categoria no Estado, o Sintect.

Willian Soares disse ao CT que o fim da greve foi deliberada na noite de segunda-feira, 12, em assembleia geral. O entendimento da categoria foi de que não há motivos para dar continuidade ao movimento paredista com a derrota no TST. “O motivo maior era esta questão e a gente perdeu no tribunal”, comentou. O sindicalista também lamentou o fato das outras pautas não terem sido levadas em consideração. “A gente gostaria de ter mais condições de trabalho para fazer o serviço da melhor maneira possível ao cidadão, mas não foi possível”, completou.

Desmonte e privatização
Para além do debate sobre o plano de saúde, o Sintect denunciava um “plano de desmonte” do  governo federal visando a privatização da estatal. “A empresa, nos últimos anos, tem sofrido duros ataques, vem sendo sucateada”, comentou Willian Soares ao CT logo após confirmação da greve. No Tocantins, por exemplo, o sindicalista disse que os funcionários sofrem com a falta de segurança e de recursos para a manutenção de situações essenciais para a prestação dos serviços, e citou ainda o risco do fechamento de agências.

Apesar de anteriormente a possibilidade de negociação, o governo agora não descarta a possibilidade. A informação foi dada pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, em entrevista ao programa Por Dentro do Governo, da TV NBR. “Os correios estão em uma situação muito difícil. Eu sei que é muito difícil cortar direitos dos trabalhadores, mais triste é você fechar uma empresa porque ela está insolvente”, disse.

“O governo brasileiro, diante da conjuntura econômica muito difícil, tem deixado claro que o Tesouro não colocará recursos. Ou os Correios diminuem suas despesas ou vão passar por um processo de privatização”, admitiu Gilberto Kassab.

Decisão
O TST decidiu que os empregados dos Correios e seus dependentes deverão pagar mensalidade para manter os planos de saúde. O tema foi objeto de julgamento pela Seção de Dissídios Coletivos da corte, que aprovou a proposta do ministro relator, Aloysio Corrêa, por 6 votos a 1.

A ação de dissídio coletivo havia sido ajuizada pela companhia ainda no ano passado, quando não houve acordo entre empregados e direção sobre a revisão do Postal Saúde no âmbito do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

A principal mudança é a introdução da cobrança de mensalidade dos empregados e dependentes – cônjuges e filhos -, conforme faixas etária e remuneratória. Até então, os empregados e seus familiares que usavam o plano pagavam apenas um percentual por consulta ou exame, de acordo com uma tabela remuneratória do plano. (Com informações da Agência Brasil)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também