CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Após resolução, Kátia diz estar “confiante” que sua candidatura será deferida

0
Após resolução, Kátia diz estar “confiante” que sua candidatura será deferida
5 (100%) 2 votos

Em breve nota na noite dessa quarta-feira, 4, a senadora Kátia Abreu (PDT) afirmou que está confiante de que o pedido de registro de candidatura ao governo do Tocantins na eleição suplementar será deferido por “observar a legislação eleitoral vigente”. A manifestação acontece após a publicação da resolução que regulamenta o pleito.

Ao regulamentar a eleição suplementar de 3 de junho, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) optou por uma resolução genérica, sem falar do prazo de desincompatibilização dos prefeitos e de filiação partidária. Por outro lado, as regras estão balizadas na Constituição Federal e nas leis complementares. Sobre o documento, Kátia Abreu disse que o TRE “cumpriu o seu papel”.

Em coletiva de imprensa na segunda-feira, 2, a senadora havia defendido que tem mais possibilidade de ser candidata do que o ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), que renunciou ao Paço nesta terça-feira, 3, para disputar o Palácio Araguaia em outubro, mas a data não está a seis meses do pleito suplementar, no qual também quer participar.

LEIA MAIS

Ataídes diz que TRE foi “coerente” na resolução e reforça pré-candidatura
— Aliados tentam acalmar Dimas e Vicentinho lança pré-candidatura na 2ª
— Procurador eleitoral diz que o que está na Constituição não muda e fora dela pode ser alterado
— Principais números e datas definidos pelo TRE-TO para a eleição suplementar
— BOM DIA – No TRE-TO prevaleceu o dito: dura é a lei, mas é a lei

A senadora argumentou que a data de desincompatibilização em relação aos gestores municipais está na Constituição, enquanto as regras relacionadas à filiação partidária estão regulamentadas por legislação complementar. “Acho muito difícil alterar prazo da Constituição Federal, mas não acho impossível alterar prazos da Lei Ordinária”, sintetizou.

O procurador regional eleitoral no Tocantins, Álvaro Manzano, endossou ao CT este entendimento, apesar de ponderar que as situações inelegibilidade serão verificadas a partir do registro das candidaturas. Ele explicou que o que é matéria constitucional não tem como ser alterado; contudo, alega que o que estiver previsto em lei complementar pode ser mitigado.

Leia a íntegra da manifestação da senadora Kátia Abreu:

Nota à população do Tocantins

Com relação à eleição suplementar para o Governo do Tocantins, o Tribunal Regional Eleitoral cumpriu seu papel ao aprovar as resoluções que nortearão sua realização no dia 3 de junho de 2018.

Permaneço com a disposição de concorrer ao Governo do Tocantins, portanto pretendo apresentar o pedido de registro da minha candidatura confiante de que será deferido, porque observa a legislação eleitoral vigente.

Continuarei formulando, junto à população, um projeto de reconstrução do Estado. O Tocantins sempre pôde e poderá contar comigo.

Senadora Kátia Abreu”

Leia também
Receba notícias do CT em seu e-mail
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...