CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

A Bolsonaro, Carlesse diz que TO oferece só 17% de área para produção e que índios vivem em situação precária 

A Bolsonaro, Carlesse diz que TO oferece só 17% de área para produção e que índios vivem em situação precária 
5 (100%) 1 voto

O governador Mauro Carlesse (DEM) defendeu em sua manifestação a liberação da licença ambiental para a construção da rodovia Transbananal, um reivindicação antiga do Tocantins. Durante a reunião dos governadores da Amazônia Legal com o presidente Jair Bolsonaro, na manhã desta terça-feira, 27, Carlesse disse que o Tocantins “só consegue liberar para o produtor rural apenas 17% de sua área”. “O que é muito pouco, no centro do Brasil, de uma área totalmente produtiva”, lamentou.

Nos leva ao atraso

Conforme o governador, “isso nos leva ao atraso”. “Não produzimos nada. Essas áreas indígenas também não produzem nada. Estão matando os indígenas, essa é a realidade. Se você ver a situação dos índios dessas regiões, totalmente precária”, disse ao presidente Bolsonaro.

Respeito ao meio ambiente e à população

Para Carlesse, não adianta os índios terem “milhões e milhões de terras e esse povo estar morrendo lá por falta de assistência”. “Temos que respeitar o meio ambiente, mas respeitar também a nossa população, que está aí passando necessidades, precisando crescer, desenvolver e comer”, defendeu o governador.

O índio quer produzir

Bolsonaro se mostrou interessado pela Transbananal e fez perguntas sobre ela a Carlesse. O governador disse ao presidente que “o índio quer produzir também”. Segundo ele, os povos indígenas têm interesse na construção da Transbananal até para arrecadarem com pedágio.

Assista a íntegra da manifestação de Carlesse na reunião com Bolsonaro:


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também