CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Ministro diz que governo Bolsonaro apoia, mas obras da Transbananal dependem de estudo de viabilidade

Ministro diz que governo Bolsonaro apoia, mas obras da Transbananal dependem de estudo de viabilidade
5 (100%) 10 votos

Zacarias Martins
Especial para a Coluna do CT

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou nesta sexta-feira, 18, que o governo do presidente Jair Bolsonaro apoia a construção da rodovia Transbananal, que ligará Formoso do Araguaia (TO), pela rodovia TO-0500, até São Félix do Araguaia (MT), pela BR-242, cortando a Ilha do Bananal. Freitas, porém, disse que, para que as obras possam ser realizadas, será necessária a realização de um estudo de viabilidade econômica pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL), o que já está sendo feito e deve levar entre seis e sete meses para ser concluído.

Pública ou privada?

De acordo com o ministro, a ideia central é que se estude a melhor forma de fazer a rodovia, que poderá ser por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) ou por investimento público. Entretanto, argumentou que, se após os estudos não houver interesse da iniciativa privada na construção, essa obra será pública. “A Transbananal já existe, o que vamos fazer agora é a sua pavimentação melhorando o tráfego, a logística e a vida da população”, destacou Freitas.

Presenças

Além do ministro, a audiência realizada na manhã desta sexta-feira, em Gurupi, reuniu os governadores de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e Tocantins, Mauro Carlesse (DEM), os senadores Kátia Abreu (PDT) e Eduardo Gomes (MDB); os deputados federais Tiago Dimas (SD), Eli Borges (SD) e Vicentinho Júnior (PL), o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), general Santos Filho, o presidente do Ibama, Eduardo Bim, deputados federais e estaduais dos dois estados, bem como, prefeitos e vereadores da região, e indígenas que vivem na Ilha do Bananal.

Preocupação indígena

Durante a  audiência pública, o cacique Iwraru Karajá, da aldeia  Santa Isabel  do Morro, que fica na Ilha do Bananal, nas margens do Rio Araguaia, foi uma das lideranças indígenas que se pronunciaram. Ele se disse favorável à construção da rodovia, mas no entanto, externou sua preocupação pelo fato de que ainda não foi explicado à comunidade indígena de que forma esse projeto será desenvolvido. “Não houve uma audiência pública na Ilha do Bananal para esclarecer as dúvidas do nosso povo. Queremos dizer que defendemos o progresso, sim, mas com a preservação do ambiente natural em que vivemos. Por isso, queremos conhecer melhor os detalhes da construção dessa rodovia”, argumentou o cacique. 

Rodovia estratégica   

O governador Mauro Carlesse destacou como estratégica a construção da Transbananal para propiciar melhores condições de vida às comunidades indígenas da Ilha do Bananal, além de contribuir para tornar mais competitiva no mercado externo a produção agrícola que vem de Mato Grosso, por meio do barateamento do frente.

Integração rodoviária

Carlesse externou seu contentamento ao abraçar o projeto da construção da rodovia Transbananal, especialmente, pelo fato de que, quando concluída, essa importante obra vai promover a integração rodoviária do Tocantins com uma das regiões de maior produção de grãos do Brasil. “Também vai proporcionar dignidade aos nossos indígenas, a partir do acesso às cidades, à educação, à saúde. Portanto, o que queremos é viabilizar essa rodovia, respeitando o meio ambiente, para o bem do Tocantins e de Mato Grosso”, afirmou Carlesse.

Muito interesse

Promovida pelo Senado Federal e capitaneada pela senadora Kátia Abreu (PDT), tendo como anfitrião o prefeito de Gurupi, Laurez Moreira (PSDB), a audiência pública acabou acontecendo na parte externa do Centro de Convenções Mauro Cunha, para que pudesse melhor abrigar o grande contingente de pessoas interessadas em participar desse evento.

Chamou a atenção

Mesmo projetada para ser construída na região sul do Tocantins, a construção da Transbananal chamou a atenção de prefeitos da região norte do Estado, como Ronaldo Dimas (sem partido), de Araguaína,  que, segundo ele, por entender que a obra irá beneficiar todo o Estado e não apenas uma região fez questão de  comparecer ao evento. 

Fomento econômico

Em seu pronunciamento e, dirigindo-se diretamente  ao ministro Tarcísio Gomes de Freitas, Laurez Moreira destacou que tem muito orgulho de Gurupi, lembrando que a cidade está localizada numa região que é grande produtora de soja, e que conta com a maior indústria esmagadora de soja da região Norte do país, além de contar com o frigorífico que é o maior exportador de carne bovina do Tocantins. Laurez ainda ressaltou que o município é hoje polo universitário. Para o prefeito, todas essas referências econômicas já justifica tirar do papel a construção dessa rodovia e colocá-la em prática para fomentar um intercâmbio econômico com Mato Grosso.

Sobre a Rodovia Transbananal

A Transbananal (BR-242) contempla um trecho de 84,1 km que corta a Ilha do Bananal e liga os municípios de Formoso do Araguaia (TO) a São Félix do Araguaia (MT). A implantação da rodovia é considerada estratégica para o escoamento da produção agrícola do Tocantins, do Mato Grosso e do Centro do Brasil. A implantação da rodovia vai promover a integração econômica e social entre Tocantins e Mato Grosso e à Ferrovia Norte-Sul, o modal que permite o escoamento da produção até os postos do Maranhão e da Bahia, pela Ferrovia Leste-Oeste. (Com informações da Secom Tocantins)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também