CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Se Stival quiser será o nome de consenso de PSDB e PSB em Gurupi; caso contrário, grupo terá “disputa fraterna”

Se Stival quiser será o nome de consenso de PSDB e PSB em Gurupi; caso contrário, grupo terá “disputa fraterna”
5 (100%) 4 votos

Os três principais caciques do grupo político formado em Gurupi por PSDB e PSB — prefeito Laurez Moreira (PSDB), Carlos Amastha (PSB) e Oswaldo Stival (PSDB) — garantem que não tem como quebrar esse trio. Vão caminhar juntos nestas eleições e garantem que não haverá nada que impeça de continuarem unidos até outubro. Eles se reuniram nessa quarta-feira, 22, para discutir as eleições da cidade.

Cada qual com seu qual

Cada um tem seu pré-candidato: o de Laurez é o secretário de Saúde do município e seu sobrinho, Gutierres Torquato (PSDB); o de Stival, o vereador Eduardo Fortes (PSDB); e o de Amastha, o presidente do PSB local, vereador Valdônio Rodrigues.

Se Stival quiser, é ele

Se o empresário Oswaldo Stival quiser ser candidato a prefeito de Gurupi não terá para ninguém. Será unanimidade no grupo. Em 2012, ele chegou a lançar seu nome pelo PSDB, mas teve que se retirar às vésperas da convenção por pressão do Palácio Araguaia — na época comandado por Siqueira Campos –, que fechou com Laurez.

Disputa fraterna

Caso Stival não aceite disputar a prefeitura, então, haverá o que estão chamando de “disputa fraterna”. Ou seja, o pré-candidato que mostrar mais viabilidade — entre Torquato, Fortes e Valdônio —vira o nome do grupo.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também