CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Stalin acusa presidente do Patriota de Araguaína de “armar um golpe” para colocar Luana no comando do partido; Walison Silva: “Mal entendido”

Araguainense revela que convite à tucana foi solicitado pela direção nacional; parlamentar diz desconhecer o assunto

O presidente do Patriota de Araguaína, Walison Silva, ficou algumas horas afastado do cargo na quinta-feira, 13, após destituição patrocinada pelo ex-deputado Stalin Bucar, hoje na vice-presidência da legenda. Ele o acusa de ter tentado “armar um golpe” com o objetivo colocar a deputada estadual Luana Ribeiro (PSDB) na presidência da sigla. A direção nacional acabou intervindo para acalmar os ânimos.

Luana no Patriota

Em conversa com a Coluna do CT na manhã desta segunda-feira, 17, Stalin Bucar confirmou que determinou a destituição de Walison Silva. Segundo o ex-deputado, o presidente do partido em Araguaína se reuniu com demais comissões municipais para tentar colocar a hoje tucana Luana Ribeiro no comando do Patriota no Tocantins. 

Amizade com Adilson Barroso

Walison Ramos ficou menos de um dia fora do comando do Patriota de Araguaína, visto que tem uma relação próxima com o presidente da direção nacional, Adilson Barroso, que o reconduziu ao cargo no mesmo dia. A situação acabou gerando um mal-estar no partido. Somente após o episódio,  a direção nacional finalmente confirmou o secretário de Finanças da Capital, Rogério Ramos, no lugar de Stalin Bucar à frente do diretório tocantinense.

Stalin pensou em sair

Stalin Bucar chegou a afirmar que sairia da sigla caso Walison permanecesse, mas decidiu aguardar após sinalização da nacional. “Se houver mais episódios como esse de ingerência, eu irei sair. Já recebi convites do próprio presidente da Assembleia Legislativa [Antônio Andrade] e ainda de outros partidos para uma nova filiação”, adiantou. Na vice-presidência da sigla, o ex-deputado estadual é pré-candidato a prefeito de Miranorte.

Conversa com Luana foi pedido de Adilson

À Coluna do CT, Walison Silva minimizou o episódio, que classificou como um “mal entendido”. O araguainense  afirma que a conversa com a Luana Ribeiro partiu de um pedido do presidente nacional, o que indica que Adilson Barroso ainda negociava o comando do partido no Tocantins, apesar da promessa feita à Rogerio Ramos, que ainda não tinha sido efetivado. “Estava nesta indefinição de quem ia comandar”, revelou. 

Sem mágoas, mas não havia necessidade

Walison Silva garantiu não ter nada contra Stálin Bucar, mas criticou um pouco a postura. “É um racha que ele quis expor. Não havia necessidade disto. Mas a gente vai apaziguar tudo. Torço para que seja eleito, é um grande líder”, anotou. O araguainense ainda revelou que teve uma conversa com Rogério Ramos e garantiu que tudo está resolvido.

Executiva do TO vai discutir o caso

o presidente do Patriota no Tocantins, Rogério Ramos, disse que a Executiva Estadual irá “discutir o que aconteceu” para depois “tomar as decisões que precisam ser tomadas”. “Este é um momento que em que vamos nos reunir, discutir estas questões, esclarecer. A decisão da nacional foi à arrepio da estadual. Isto também precisa ser discutido”, completou. O dirigente ainda aproveitou para garantir que Stalin Bucar terá total apoio do partido para disputar a Prefeitura de Miracema do Tocantins.

Luana desconhece convite

A assessoria de Luana Ribeiro afirmou à Coluna do CT que a deputada “desconhece o assunto” e que continua no PSDB. “Está focada nas atividades parlamentares que foram intensificadas por ela após reinício dos trabalhos depois do recesso. As discussões partidárias, a cargo dos dirigentes das siglas, serão analisadas no período oportuno”, completa a equipe da tucana.

(Por Rafael Miranda e Luís Gomes)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também