CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

TRF-4 rejeita recurso e mantém condenação de Lula a mais 17 anos de prisão por sítio de Atibaia

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) realizou nesta quarta-feira, 6, um julgamento virtual no qual manteve a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 17 anos e um mês de prisão no caso do sítio de Atibaia, em São Paulo.

O caso havia sido julgado em primeiro grau pela juíza da Lava Jato Gabriela Hardt. Com a decisão agora por unanimidade pelo TRF-4, nada mudará para o petista, mas sua defesa irá recorrer.

Na petição apresentada pelos advogados de Lula na noite de terça-feira, 5, foi pedida a suspensão do julgamento baseado no depoimento do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, ex-juiz federal da Operação Lava Jato. No entanto, o recurso foi negado.

Além disso, os integrantes do TRF-4 também se recusaram a cancelar a sessão virtual, depois que a defesa do ex-presidente apelou para que só ocorresse presencialmente.

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do sítio. Entretanto, em novembro passado, sua pena foi aumentada de 12 para 17 anos de detenção.

De acordo com o Ministério Público Federal, as empresas Odebrecht, OAS e Schahin gastaram R$ 1 milhão em melhorias em uma chácara em Atibaia, no interior de São Paulo, em benefício de Lula.

O imóvel está em nome de Fernando Bittar, filho do ex-prefeito de Campinas Jacó Bittar e sócio de um dos filhos do ex-presidente, Fabio Luís, mas a acusação diz que o petista é seu real proprietário. Investigadores encontraram objetos pessoais de Lula e sua família no sítio, além de um barco com o nome dele e de sua falecida esposa, Marisa Letícia.

O ex-presidente, no entanto, nega ser dono da chácara e afirma que não há provas de que ele cometeu corrupção e lavagem de dinheiro.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também