CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

DIVULGAÇÃO |Vakinha Abhay

Este é um pedido de ajuda financeira para o meu sonho de realizar uma dupla diplomação em Engenharia Eletrônica na França. A minha bolsa de intercâmbio do programa BRAFITEC da CAPES foi suspensa devido à pandemia do novo coronavírus, por isso precisarei me manter na França durante 2 anos com recursos próprios.

O programa BRAFITEC é um acordo bilateral entre Brasil e França, realizado pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), uma fundação vinculada ao Ministério da Educação, que leva alunos com excelência acadêmica dos cursos de Engenharia para estudar em faculdades renomadas na França. Os alunos selecionados pelo programa não pagam anuidades e ainda recebem mensalmente 870,00 euros para custear as suas necessidades básicas (habitação, alimentação, transporte).

Com a chegada do COVID-19, a CAPES comunicou que as bolsas BRAFITEC não seriam implementadas.

Eu me chamo Abhay Caran Das Baraky Dias, morei 15 anos em Palmas e hoje sou aluno da UnB (Universidade de Brasília) no curso de Engenharia Eletrônica e fui selecionado pelo Programa BRAFITEC para realizar uma dupla diplomação como bolsista na ENSICAEN (Escola Nacional Superior de Engenheiros de Caen Centro de Pesquisa), em Caen na França.

Eu cheguei em Palmas nos anos 2000, quando tinha 3 anos e aqui vivi a maior parte da minha vida com minha mãe e meus irmãos. Aqui na capital passei por algumas escolas como colégio madre clélia e colégio marista onde estudei 6 anos e durante a minha trajetória dentro delas, eu me convenci a acreditar que a educação poderia mudar a minha vida. Por isso, nunca estudei por obrigação, eu estudava para crescer e transformar a minha realidade e da minha família. Quando terminei o ensino médio eu sabia que queria estudar engenharia, além do mais gostaria muito de estudar em outro estado pois busquei acelerar ao máximo o meu amadurecimento e me tornar cada vez mais uma pessoa responsável e capaz. Logo, eu apliquei as minhas notas do ENEM para Engenharia Eletrônica na Universidade de Brasília e fui admitido. Deixei a nossa cidade em busca do sonho de estudar numa instituição federal e enfrentar os desafios de morar longe de casa e para me sustentar em Brasília eu consegui acesso aos programas de bolsas pela assistência estudantil aos quais sou muito grato.

O meu projeto de fazer um intercâmbio é muito antigo, de maneira que sempre busquei formas de o realizar. Em 2018, durante o terceiro ano da graduação de engenharia na UnB, eu conheci o Programa BRAFITEC e resolvi fazer o que fosse preciso para passar na faculdade francesa e ser contemplado com a bolsa, que era a condição necessária para eu realizar um intercâmbio uma vez que a minha família não possui condições de arcar com custos de morar na Europa.

Para passar no programa BRAFITEC são necessárias notas muito elevadas, participações em atividades de extensão (como projetos, estágios, escrever artigos) e saber falar francês em um nível intermediário. O meu objetivo era passar na chamada de 2019 e para isso me dediquei muito em 2018 nas matérias e resolvi vender bolo no pote na faculdade para juntar dinheiro e fazer um curso de francês. Entretanto, eu não consegui o suficiente e acabei perdendo a oportunidade daquele ano, mesmo com um bom rendimento acadêmico. Em março de 2019, eu encontrei meus amigos que foram selecionados pelo BRAFITEC, o que me fez decidir com muita clareza que no próximo ano eu conseguiria a minha vaga.

O meu plano era aumentar ainda mais as minhas notas e aprender francês. Por isso, resolvi me dedicar ao máximo à faculdade no primeiro semestre de 2019 e no segundo semestre eu fiz um estágio, que é obrigatório para o meu curso, e com esse dinheiro eu paguei um curso de francês intensivo e estudei todos os dias no período da noite.  Os meus esforços na faculdade renderam notas máximas em 6 das 7 matérias que eu cursei, incluindo nota máxima no estágio. Em março de 2020 eu realizei o teste de proficiência em francês chamado TCF e consegui a menção B2, que é classificada como intermediária-avançada. Logo, com as notas da faculdade bem altas e o certificado de francês em mãos, eu me candidatei novamente para o intercâmbio e  consegui a minha vaga no programa, que começará em setembro deste ano.

Entretanto, como disse anteriormente, as bolsas não foram implementadas e em razão do curto prazo para o início do ano letivo francês, dia 07/09/2020, o intercâmbio apenas será continuado por aqueles que conseguirem se manter com recursos próprios. E, mais uma vez, eu não vou desistir desta oportunidade e com muita resiliência espero superar esse desafio. Por isso, quero pedir encarecidamente apoio financeiro para embarcar com segurança para a França e voltar para o Brasil como um profissional muito mais capacitado.

Os recursos para eu conseguir me manter na França giram em torno de 700 euros por mês, um valor aproximado de R$ 50.000,00 anuais.  Considerando a duração de 2 anos da formação, estabeleço a meta inicial de R$ 60.000,00 que me ajudará imensamente para o início do intercâmbio.  

Eu quero agradecer de forma antecipada a todos aqueles que contribuírem com esta iniciativa assim como a todos que já me ajudaram durante a minha trajetória acadêmica e profissional.

Clique no link abaixo e contribua

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-para-o-abhay-estudar-na-franca


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também