CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Educação de Axixá cobra pagamento da folha; medida é “precipitada”, diz secretária

0
Educação de Axixá cobra pagamento da folha; medida é “precipitada”, diz secretária
5 (100%) 1 voto

A presidente do Sindicato dos Servidores da Educação de Axixá do Tocantins, Luzanira Ferreira Lima, procurou o CT para criticar o prefeito Damião Castro (MDB) por anunciar que não teria condições de fazer o pagamento do salários dos professores da rede municipal de ensino nesta terça-feira, 30, por falta de recursos. O questionamento da sindicalista acontece porque a entidade teria constatado que o Paço recebeu recursos suficientes para cumprir com o compromisso.

Luzanira Ferreira Lima afirma que a folha dos professores do município é de R$ 577 mil, e que em consulta à conta do Paço constatou o crédito de R$ 722.412,33 oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), o que defende ser prova de que daria para quitar os salários.

O CT também conversou com a secretária da Educação de Axixá, Maria Claudete Ribeiro de Sousa Carvalho, que minimizou as críticas. Segundo a gestora, o prefeito teria alegado não poder fazer o pagamento porque destes R$ 722 mil, parte deles foi usado para quitar dívidas com servidores administrativos da rede municipal de ensino, e que depois deste pagamento não restou mais de R$ 300 mil na conta.

A secretária conta ainda que o prefeito aguarda o restante dos repasses do Fundeb para assumir o compromisso com os professores. Apesar disto, Maria Claudete considerou as críticas do sindicato “precipitadas”, isto porque o mês sequer encerrou e ainda devido o Plano de Cargos e Carreiras da categoria estabelecer o pagamento da folha até o quinta dia útil do mês subsequente.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também