CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Por falta de kits, Lacen vai restringir critérios de teste para Covid-19; “Uma das piores notícias que poderíamos receber”, diz conselheiro do CFM

O Laboratório Central do Estado (Lacen-TO) distribuiu comunicado nesta sexta-feira, 12, de que vai restringir ainda mais os critérios para realização de testes para Covid-19. Conforme a nota, há dificuldades de abastecimento e aquisições dos kits, em âmbito nacional, utilizados na etapa de extração do material genético do Sars-CoV-2, pelo método de RT-PCR.

Critérios

Por isso, o laboratório afirmou que inicia nesta sexta a priorização de testagem conforme dois critérios: 1) pacientes suspeitos para Covid-19, hospitalizados na rede pública e privada de saúde; 2) óbitos suspeitos de Covid-19.

Amostras acondicionadas

De acordo com o Lacen, as amostras dos demais casos e unidades de saúde serão acondicionadas para testagem imediatamente a regularização do estoque.

Uma das piores notícias

Membro tocantinense do Conselho Federal de Medicina (CFM), o médico Estevam Rivello afirmou à Coluna do CT que “é uma das piores notícias que poderíamos receber” neste momento do combate à Covid-19. “Porque a testagem é a única forma de darmos segurança na tomada de decisão”, alertou.

Torna flexibilização mais preocupante

Segundo Rivello, no momento em que reduz os critério aos que estão internados ou foram a óbito, excluem os que têm sintomas leves, os contatos de casos positivos e os que querem testar para algum motivo, por se sentirem mal ou por estarem em dúvidas sobre os sintomas. “Quando não temos uma capacidade de testar a população, não sabemos onde estamos pisando. Nesse sentido, as tomadas de decisão sobre flexibilização se tornam ainda mais preocupante, porque não saberemos a partir de agora qual a realidade que o Tocantins vive”, disse o conselheiro do CFM.

Mascarar a realidade para a população

Ele ressaltou que hoje o Estado já tem uma alta taxa de ocupação de leitos clínicos e UTIs em várias comorbidades. “E as UTIs da Covid-19 também possuem uma alta taxa de ocupação. Uma vez que a gente não sabe a realidade dos nossos números, aquele paciente grave pode chegar e sermos pegos de surpreso por não ter um número significativo de casos testados e confirmados. Ainda podemos mascarar uma realidade para a população, que vai andar daqui para frente sem saber o que é real”, disse.

Testagem acelera recuperação econômica

Rivello afirmou que agora é preciso observar as medidas que o governo vai tomar para “poder suprir aquele que é, sem dúvida, o principal veículo de informação que deve nos nortear”. Ele afirmou que um prêmio Nobel que está descrevendo a recuperação norte-americana defende que a medida mais importante a ser adotada é justamente aumentar a capacidade de testagem. “Segundo esse Nobel, cada americano terá que ser testado 26 vezes ao longo de um ano. A cada resultado negativo, o cidadão volta para o trabalho; e, se dá positivo, é afastado. Assim, vai possibilitar uma maior segurança para os que estão circulando e a economia do país se recupera mais rapidamente”, explicou o médico.

Um contamina 30

O conselheiro do CFM disse que cada americano, com os 26 testes anuais, vai custar para o governo o equivalente a R$ 1,5 mil, mas defendeu que a medida é fundamental para a recuperação do mercado. “Porque uma pessoa contaminada circulando pode infectar outras 30. E isso é prejudicial para a economia”, destacou Rivello.

Confira a íntegra do comunicado que o Lacen distribuiu nesta sexta-feira:

Nota de esclarecimento

O LACEN-TO informa que diante as dificuldades de abastecimento e aquisições dos kits, em âmbito nacional, utilizados na etapa de extração do material genético do SARS-CoV-2, pelo método de RT-PCR, inicia hoje a priorização de testagem conforme os critérios:

1) pacientes suspeitos para COVID-19, hospitalizados na rede pública e privada de saúde;

2) óbitos suspeitos de COVID-19;

As amostras dos demais casos e unidades de saúde serão acondicionadas para testagem imediatamente a regularização do estoque.

A seguir nota da Sesau expedida na noite desta sexta:

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que os testes para o método RT-PCR sempre foram distribuídos pela Coordenação Geral dos Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), departamento do Ministério da Saúde, que apoia e coordena as estratégias nacionais para o diagnóstico de doenças de interesse em saúde pública e enfrentamento da COVID-19.

O comunicado sobre a descontinuidade de abastecimento para os kits de extração ocorreu em videoconferência realizada no último dia 02/06 e desde então a SES tem intensificado ações para restabelecer o abastecimento e garantir a continuidade das testagens.

Importante reiterar que tratam-se de insumos de alto custo e com alta demanda em todo país e toda a Rede tem tido dificuldade em adquirir esses ítens sob pronta entrega pelos fornecedores e representantes comerciais.

A SES está com processo emergencial para aquisição dos ítens necessários ao reestabelecimento da rotina de testagens do Lacen-TO.

Palmas, 12 de junho de 2020
Secretaria de Estado da Saúde
Governo do Tocantins


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também