CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Tocantinense mostra que mulher chegou ao futebol para ficar e conquistar espaço

Tocantinense mostra que mulher chegou ao futebol para ficar e conquistar espaço
5 (100%) 10 votos

O universo esportivo é historicamente dominado pelos homens. Aos poucos, porém, as mulheres começam a consolidar seu espaço nesse tipo de atividade. A Copa do Mundo Feminina, por exemplo, está aí para mostrar, mais uma vez, que lugar de mulher é onde ela quiser. O tabu preconceituoso de que o futebol é um esporte exclusivamente masculino ainda não foi totalmente quebrado aqui no Brasil. Organizada pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), a Copa existe desde 1991, mas este será o primeiro ano que os jogos serão transmitidos por canais da TV aberta.

Além disso, não há mulheres em áreas como fisioterapia, fisiologia nem mesmo nas estatísticas. Uma exceção no “clube do bolinha” do Tocantins é a fisioterapeuta Talita Brunes, que atua no Palmas Futebol Clube, e mostra que a posição da mulher do futebol veio para ficar e está em crescendo. “Tenho muito respeito pelos meus meninos, amo meu trabalho. E a competência técnica de um profissional não pode ser medido pelo sexo e sim pelos cursos e trabalho realizado”, aponta a fisioterapeuta.

Segundo ela, o tabu em torno do trabalho das mulheres no futebol ainda existe e o mercado de trabalho neste meio é dominado, ainda, pelos homens. Contudo, muita coisa vem mudando nos últimos anos, principalmente graças a mulheres que batalham para enfrentar as barreiras impostas pelo preconceito. Ela integra um time de sete mulheres em todo o Brasil que trabalha no futebol masculino e considera que ainda falta caminhar muito para atingir a igualdade em todos os sentidos. “Sempre tive algumas dificuldades pelo fato de ser mulher, ou de ser nova, mas hoje estamos colhendo frutos maravilhosos”, alegou a fisioterapeuta.

Talita Brunes já trabalha como fisioterapeuta no esporte masculino há cerca de seis anos. “Nós mulheres inseridas no futebol em todo País estamos mostramos competência e trabalho sério, por isso, temos conquistado o nosso espaço”, considera a fisioterapeuta, que hoje é convidada a ministrar palestras pelo Brasil afora sobre o papel da mulher no esporte masculino. A fisioterapeuta esportiva está com a agenda repleta de campeonatos e eventos nacionais esportivos pela frente. “Estou preparada para encarar todos os desafios”, ressalta. O segredo do sucesso a fisioterapeuta tem na ponta da língua: “Amor, postura e competência é o grande diferencial”.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também