CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

MEC rejeita Kênia Rodrigues para reitoria da UFNT; para Célio Moura, motivo é que professora não apoiou Bolsonaro

MEC rejeita Kênia Rodrigues para reitoria da UFNT; para Célio Moura, motivo é que professora não apoiou Bolsonaro
4.9 (97%) 20 votos

Apesar de ter recebido apoio de boa parte da bancada federal, a professora Kênia Ferreira Rodrigues teve a indicação para a reitoria da Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT) rejeitada pelo Ministério da Educação (MEC). A escolha de um novo reitor é passo fundamental para a implantação da nova instituição, visto que cabe ao cargo  a responsabilidade de conduzir a criação do estatuto da UFNT e a realização do primeiro primeiro processo eleitoral,

Por ter sido contrária à Bolsonaro

A rejeição de Kênia Ferreira foi comunicada pelo deputado federal Célio Moura (PT). À Coluna do CT, o petista argumenta que a decisão do governo deve-se ao fato da professora não ter apoiado o presidente Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições, além de discordar dos cortes orçamentários das universidades. 

Pensamento tem que ser livre

Agora um novo nome terá que ser apresentado e aprovado pelo MEC e Jair Bolsonaro. Com isto, Célio Moura avalia que a efetivação da nova instituição ficará “em segundo plano”. “A professora indicada já está há muito tempo cuidando da transição para a UFNT, tem capacidade, foi indicada pelo corpo docente da UFT para ser a reitora pró-tempore [temporária]. A universidade tem que ser livre, o pensamento tem que ser livre. Uma pena o que aconteceu. Apenas em razão de não ter votado no atual presidente”, lamentou.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também