CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

PF investiga possível fraude à licitação e compra superfaturada de camas hospitalares; Sesau nega irregularidades

A Polícia Federal deflagrou operação nesta sexta-feira, 18, para apurar possíveis ilegalidades praticadas pelo governo estadual na aquisição de 590 camas hospitalares. Batizada de “Cama de Tut”, a ação investiga suposta fraude à licitação e compra superfaturada, com valores cerca de 227% superiores aos praticados pelo mercada e pela própria vencedora do certame.

Mandados

Aproximadamente 30 agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, nas cidades de Palmas e São Paulo (SP). Além da obtenção de novas provas, busca-se verificar a efetiva entrega dos bens adquiridos e o suposto pagamento de vantagens indevidas. O potencial de superfaturamento apontado pelos órgãos de controle seria de mais de R$ 7 milhões. 

Batismo

A operação “Cama de Tut” é uma referência ao luxuoso leito do faraó Tutancâmon, uma vez que as injustificadas especificações do certame limitaram o processo aquisitivo a apenas um modelo de cama hospitalar, tida como uma das mais requintadas do mercado.

Preços já foram questionados e Sesau garante legalidade

A compra das camas já tinha sido questionada pelo  presidente da Unimed na Capital, Ricardo Val Souto, que também questionou os valores pagos. Na época, a Secretaria da Saúde (Sesau) esclareceu que o mobiliário foi licitado e adquirido “por valor inferior à média nacional do Banco de Preço, maior base de consulta disponível no mercado”. Em nota nesta sexta-feira, 18, a pasta voltou a defender a regularidade do processo de compra.

Leia a íntegra da nota:

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que está à disposição dos órgãos de controle para todos os esclarecimentos a respeito do processo de aquisição das camas elétricas, as quais foram licitadas e adquiridas por valor inferior à média nacional do Banco de Preço, base mais confiável de consulta disponível no mercado.

A SES informa que a compra dos mobiliários era uma necessidade, pois há décadas não havia grandes investimentos nesta área. A substituição das camas beneficiou a população tocantinense, que necessita do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como os trabalhadores da saúde, que precisam lidar com a locomoção de pacientes.

A SES destaca que zela pelo erário público e, sempre que necessário, aciona espontaneamente os órgãos de controle para investigar os possíveis abusos e superfaturamentos que muitas empresas tentam impor na oferta de alguns produtos. Fato semelhante ocorreu em abril deste ano, na compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), para o combate à pandemia, decorrente da Covid-19.

Por fim, a SES reforça que as novas camas tem a qualidade necessária para a demanda existente nas unidades hospitalares. Demonstram-se duradouras e sem a necessidade de substituição imediata. Além disso,  possuem garantia de um ano, período no qual a empresa vencedora da licitação realizará manutenção sem custo adicional.

Palmas, 18 de setembro de 2020
Secretaria de Estado da Saúde
Governo do Tocantins”


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também