CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Representação da OAB no CNJ cobra do TJTO providências para 13 demandas prioritárias da classe

Advocacia cobra emissão de alvarás, maior produtividade e acesso a magistrados

Representação da OAB no CNJ cobra do TJTO providências para 13 demandas prioritárias da classe
2.3 (46.67%) 3 votos

A seccional tocantinense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) fez representação contra o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para cobrar providências em relação a treze demandas prioritárias elencadas pela advocacia do Estado, como dificuldade de acesso a juízes e desembargadores, entre outros pontos.

Gedeon Pitaluga, presidente da seccional tocantinense da Ordem dos Advogados do Brasil (Foto: Divulgação/OAB)

“Cumprindo o compromisso com a classe, a OAB apresentou ao CNJ pedido de providências em relação a treze reclamações prioritárias da advocacia em relação aos serviços do TJTO, em especial à recusa em emitir alvarás em nome de advogados, mesmo com procuração, a dificuldade de acesso a juízes e desembargadores, a ausência de juízes nas varas e a baixa produtividade”, resumiu o presidente da Ordem no Tocantins, Gedeon Pitaluga.

A baixa produtividade, a emissão de alvarás em nome de advogados constituído por procuração e a necessidade de acesso aos desembargadores e juízes pela advocacia sem prévio aviso estão amparados como garantias previstas no Estatuto da Advocacia, defende a OAB. A representação está sob a relatoria do Corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, que já despachou pedindo informações ao Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO). (Com informações da Ascom/OABTO)


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: [email protected]

Leia também