CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.

Caso Heidy | MPE sai em defesa de promotor acusado pela OAB de “abuso de autoridade”

Caso Heidy | MPE sai em defesa de promotor acusado pela OAB de “abuso de autoridade”
4.6 (92.73%) 11 votos

O Ministério Público Estadual (MPE) defendeu em nota na tarde desta quarta-feira, 19, o promotor Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, alvo de repúdio da Seccional Tocantins da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-TO), que o acusa de ter agredido verbalmente o advogado Antônio Ianovich Filho no júri de Allan Moreira Borges, acusado de matar a ex-esposa, a professora Heidy Ayres Barbosa. Allan foi absolvido no final da noite dessa terça-feira, 18.

Conforme a OAB-TO, a suposta agressão ao advogado teria sido um “ato de claro abuso de autoridade” do promotor. No entanto, na nota da tarde desta quarta, o MPE afirmou que Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira “é pessoa de notório conhecimento técnico e possuidor de comportamento que se caracteriza pela extrema civilidade e cordialidade”. “Um profissional íntegro e respeitado, tanto no âmbito ministerial quanto fora dele”, atestou o órgão.

Conforme o MPE, é “absolutamente natural a elevação do tom dos debates” na sessão de Tribunal do Júri. “Sobretudo em caso de repercussão social, como o que ora estava em julgamento. Lembrando que tanto o representante do Ministério Público quanto a defesa tem assegurada a imunidade judiciária, o que afasta qualquer imputação de natureza criminal”, ressalvou a nota.

Confira a seguir a íntegra da nota do MPE:

“Nota Oficial

Assunto: posicionamento público externado pela Ordem dos Advogados do Brasil/Tocantins

Diante dos fatos trazidos em “Nota de Repúdio” emitida nesta quarta-feira, 19, pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins, acerca do comportamento de membro do Ministério Público do Tocantins durante sessão do Tribunal do Júri realizada na terça-feira, 18, em Palmas, ressalta-se que:

1- O promotor de Justiça atuante em plenário Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira é pessoa de notório conhecimento técnico e possuidor de comportamento que se caracteriza pela extrema civilidade e cordialidade. Um profissional íntegro e respeitado, tanto no âmbito ministerial quanto fora dele;

2- É absolutamente natural a elevação do tom dos debates durante sessão de Tribunal do Júri, sobretudo em caso de repercussão social, como o que ora estava em julgamento. Lembrando que tanto orepresentante do Ministério Público quanto a defesa tem assegurada a imunidade judiciária, o que afasta qualquer imputação de natureza criminal;

3- O debate e as intercorrências durante o julgamento estão devidamente registrados em ata, de forma que qualquer manifestação que não tenha por base seu conteúdo se mostra inteiramente temerária e inoportuna;

4- A continuidade do debate sobre a questão de fundo prosseguirá perante o foro competente, através de recursos já interpostos;

5- Por fim, o Ministério Público conserva o propósito maior de manter, com a Ordem dos Advogados do Brasil e demais instituições do Sistema de Justiça, uma convivência harmônica como regra do Estado Democrático de Direito”.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também