CLEBER TOLEDO
Atender a sociedade com um espaço de comunicação apartidário, focado na cidadania e comprometido com o desenvolvimento regional.
governo-mobile-2

Relatório do Sesau mostra que Araguaína, com 200 mil habitantes, testa 67,2% a mais que Palmas, com 300 mil

Relatório Situacional de Enfrentamento à Covid-19 pela Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins (Sesau), divulgado nessa sexta-feira, 22, mostra que a testagem de Araguaína por RT-PCR, o método mais confiável para detectar a doença, é 67,2% superior à de Palmas. De acordo com o documento, a cidade administrada pelo prefeito Ronaldo Dimas (Podemos), de cerca de 200 mil habitantes, já enviou para teste 2.486 amostras, enquanto Palmas, com 300 mil moradores, sob o comando da prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB), 1.487.

O relatório mostra que das 2.486 amostras de Araguaína, 100% foram testadas, já da Capital, 1.359. Os dados se referem até quinta-feira, 21. A cidade de Dimas, até essa sexta, tinha 964 casos de Covid-19, que matou 12 pessoas no município. Em Palmas, são 372 registros e 4 óbitos.

Fora o RT-PCR, Palmas recebeu 32,2% a mais de testes rápidos do Ministério da Saúde, via Estado, do que Araguaína. A Capital ficou com 271 caixas de 20 testes cada, o que dá 5.420, e a cidade do norte com 205, um total de 4.100. A diferença é de 1.320 testes a mais para Palmas.

A cidade que mais testa no Tocantins

A Prefeitura de Araguaína já havia divulgado nesta semana que é o município na região com maior número de testes realizados para detecção do novo coronavírus na população. Nas contas do município, desde 25 de março, quando os primeiros testes rápidos chegaram à cidade, um total de 2.622 casos suspeitos da doença já foram testados, sendo 1.924 descartados e 698 com diagnóstico positivo até segunda-feira, 18.

Ainda de acordo com a prefeitura, entre as cidades próximas, com população acima de 100 mil habitantes, de acordo com os boletins epidemiológicos também do dia 18, Balsas (MA) contava com apenas 823 diagnósticos, sendo 684 descartados e 139 positivos; Marabá (PA) com 383, destes 57 foram descartados e 326 foram confirmados; Parauapebas (PA) somava 905 diagnósticos, 333 descartados e 572 confirmados; e Palmas com 1.766 diagnósticos, sendo 1.450 casos descartados e 316 confirmados.

O prefeito Ronaldo Dimas explicou que nos lugares que testam muito há uma proporção de cinco assintomáticos por caso confirmado, onde se testam pouco, são 15 assintomáticos por confirmado. “O número de confirmados ocorre porque somos a cidade que mais testes realiza no Tocantins e, proporcionalmente, uma das que mais realiza testes no Brasil”, avaliou Dimas.

A prefeitura contou já ter adquirido no total mil testes rápidos e que recebeu outros 1.630 do Ministério da Saúde, por meio do Estado, e 450 doados pelas empresas Minerva Foods e Gelnex. Além disso, o município adquiriu 6 mil tubos e 12 mil swabs para a montagem dos kits de coleta do exame PCR.

10 mil reagentes

Em Palmas, a prefeita Cinthia Ribeiro chegou a anunciar a compra de 6 mil testes rápidos, mas houve problema com o fornecedor e o insumo não foi entregue. Agora, ela anunciou na tarde dessa sexta-feira que está adquirindo 10 mil reagentes para ampliar a testagem junto à população. Conforme a prefeitura da Capital, os reagentes já estão em Palmas e os testes laboratoriais serão realizados a partir da próxima semana.

Além disso, Cinthia também anunciou uma parceria com o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO), que entregará ao Laboratório Municipal nos próximos dias, 15 mil testes rápidos. Ela explicou que a cooperação entre a Prefeitura e TJ-TO estabelece que a testagem seja feita primeiramente em todos os profissionais de Saúde do Município e do Estado, o que possibilitará uma melhor gestão destes profissionais e uma maior segurança para os que estão diretamente envolvidos no enfrentamento da Covid-19.

Pesquisa

A prefeita também anunciou o Projeto de Pesquisa “Novo coronavírus (SARS-CoV-2): inquérito populacional para pesquisa de anticorpos no município de Palmas, Tocantins, Brasil”. O estudo será feito em quatro fases, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e da Fundação Escola de Saúde Pública (Fesp), em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) e apoio da Ulbra.

De acordo com o município, a primeira fase se iniciou no dia 19 e encerra neste sábado, 23, e foi realizada nos territórios de saúde do município, organizada da seguinte forma: 19 e 21 de maio, aplicação do inquérito domiciliar; 21, 22 e 23 de maio, realização da coleta de material biológico.

A prefeita de Palmas reafirmou ainda que o município está contratando 17 leitos de UTI e 18 leitos clínicos da rede privada de saúde. Segundo ela, a Secretaria de Saúde aguarda as recomendações dos órgãos de controle, uma vez que 70% dos leitos privados foram requisitados administrativamente pelo governo de Estado, por conta de pacientes do Pará que estão sendo trazidos para hospitais do Estado. O que significa que esses leitos ainda dependem dessa disputa estadual.

No alvo da oposição e das redes sociais

A condução da crise em Palmas, inclusive, tem sido alvo de críticas nas redes sociais, onde houve nos últimos dias cobrança incisiva de mais testes, e também da oposição, para quem falta ação ao município. Um dos maiores críticos da gestão é o vereador Tiago Andrino (PSB). Nas redes sociais, num bate-boca virtual com Cinthia, o parlamentar afirmou que a prefeitura “não fez nenhum novo leito, não comprou nenhum respirador e fez pouquíssimos testes”. “Tem algum sentido? Me parece que querem polemizar para esconder a falta de ações concretas no enfrentamento à Covid-19”, concluiu Andrino.

67 leitos para Covid-19

Já em Araguaína, o prefeito Ronaldo Dimas inaugurou na quinta-feira, a Unidade Corona Norte para receber pacientes em tratamento da Covid-19. A prefeitura disse que o município é o único do Tocantins a instalar leitos exclusivos para à pandemia. Essa unidade, para a agilidade do processo e otimização dos recursos, contou o apoio, no empréstimo de equipamentos, das prefeituras de Colinas, Wanderlândia, Goiatins e Campos Lindos.

De acordo a com prefeitura, atualmente, a rede hospitalar do município, privada e pública, tem 47 leitos exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19, sendo 26 leitos em unidade de tratamento intensivo (UTI).

Com os novos leitos da Unidade Corona Norte, o município afirmou que saltou para o número de 67 leitos na cidade. “Nossa meta é ter, para atendimento aos casos mais graves, 110 leitos, sendo 55 UTI. Se necessário, já temos definido local para implantação de hospital de campanha”, avisou Dimas.


COMENTÁRIOS

Os comentários nas matérias do CT devem ser postados nas redes sociais pelos links:
https://www.facebook.com/PortalCT
https://Twitter.com/PortalCT
Contato com a Redação: redacao@clebertoledo.com.br

Leia também